Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIÊNCIA E SAÚDE

Falar um 'belo' palavrão ajuda a aliviar a dor

Falar um 'belo' palavrão ajuda a aliviar a dor
20/04/2011 03:30 - r7


Pesquisadores do Reino Unido descobriram que falar palavrão quando sentimos dor ajuda a aliviá-la, pelo menos quando não os usamos com frequência.
 
Para quem não tem o costume, ao sentir dor um xingamento é quatro vezes mais eficiente do que para quem vive com a "boca suja".

Os pesquisadores da Universidade Keele dividiram jovens adultos em dois grupos: aqueles que normalmente falam menos de dez palavrões por dia e os que falam até 40.

Todos os 71 voluntários tiveram de mergulhar suas mãos em água gelada e mantê-las lá dentro pelo maior tempo possível. Primeiro, eles tiveram de repetir uma palavra comum enquanto mantinham a mão na água. Depois, eles repetiam um palavrão de sua escolha.
Aqueles que geralmente xingam menos conseguiram resistir à água gelada enquanto falavam o palavrão por 45 segundos a mais do que aqueles que não tinham o costume. Já as pessoas que falam palavrões com frequência só conseguiram resistir por apenas dez segundos a mais do que as que não xingam.

Segundo o chefe do estudo, Richard Stevens, os resultados mostram que os palavrões podem liberar endorfinas analgésicas.

O xingamento provoca uma resposta emocional diante do estresse parecida com a reação de correr ou lutar [como o corpo reage a ameaças ou perigos].

O também mostra que se as pessoas querem tirar proveito dos palavrões devem usá-los só quando for realmente necessário e quando estiverem com uma dor verdadeira.

No entanto, como xingar é considerado algo mal educado, podendo causar mais problemas, o médico diz que em locais públicos ainda é melhor tomar um analgésico do que falar palavrão.

Felpuda


Partido está aos poucos montando a que vem sendo chamada de “chapa do quartel”, pois os pré-candidatos são oriundos da caserna. Há quem diga que os dirigentes da legenda ainda estão querendo pegar carona no “fenômeno Bolsonaro”, esquecendo-se que o presidente, embora vindo da área militar, está na política há 30 anos e o seu programa de governo agradou 57,7 milhões de eleitores. Dizem que tchurminha será obrigada a adicionar mais ingredientes no currículo, senão...