Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

BATALHA NA NUVEM

Facebook e Google disputam parceria para ter Skype

7 MAI 2011Por 15h:22

Duas grandes potências da Internet estão se enfrentando pelo direito de formar uma parceria com o Skype, mas o Facebook parece um candidato mais agressivo que o Google, e a maior rede social do mundo pode de fato ser o parceiro mais apropriado.
A Reuters reportou na quarta-feira que Facebook e Google estão separadamente buscando parcerias com o Skype, o popular serviço de videotelefonia usado por milhões de pessoas em todo o mundo.
As conversações com o Facebook e o Google continuam em estágio preliminar, mas qualquer acordo poderia envolver aquisição direta ou parceria em forma de joint venture, disseram duas fontes à Reuters.
Um acordo com o Skype, que está preparando sua oferta pública inicial de ações, deve ter valor da ordem da ordem de três bilhões a quatro bilhões de dólares, segundo a fonte. A oferta de ações do Skype deve ser da ordem de um bilhão de dólares, disseram diversas outras fontes.
Analistas e observadores do setor de tecnologia estão apostando no Facebook, por acreditarem que existe mais compatibilidade entre as duas empresas e que o Skype complementa o Facebook ao oferecer ativos de que este não dispõe.
“Não me surpreende que ambas as empresas estejam interessadas”, disse Eric Jackson, fundador e administrador do grupo de investimento Ironfire Capital. “Trata-se de um ativo muito mais valioso para o Facebook do que para o Google.”
O Google já dispõe de capacidades de chat por voz e vídeo, ainda que o produto do Skype seja mais robusto, disse Rory Maher, analista da Hudson Square Research,
A empresa poderia incorporar o Skype ao Google Voice e até conseguir alguma credibilidade nas mídias sociais, depois de fracassar em sua tentativa de fazê-lo com o projeto Buzz.
“Existem benefícios para o Google em uma combinação com o Skype, mas creio que menos claros do que no caso do Facebook”, disse Maher.
Para o Facebook, o incentivo por uma parceria com o Skype é maior porque encorajaria as pessoas a passarem mais tempo no site do que já fazem --e essa é a razão de ser de uma rede social.
“Comunicação é essencial ao que os usuários do Facebook fazem”, disse Mo Koyfman, sócio do grupo de investimento Spark Capital. “Controlar essa plataforma seria muito interessante.”
 

Leia Também