Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TECNOLOGIA

Facebook descarta aquisição do Snapchat e fará pausa em compras

Facebook descarta aquisição do Snapchat e fará pausa em compras
25/02/2014 01:00 - TERRA


O fundador do Facebook Mark Zuckerberg afirmou ontem que a companhia fará uma pausa nas aquisições, após as compras dos aplicativos WhatsApp (na última semana) e Instagram (em 2013). Durante palestra no Mobile World Congress, em Barcelona, uma pessoa da plateia perguntou se o executivo tem intenções de comprar o SnapChat, aplicativo de mensagens concorrente do WhatsApp.

"Não", respondeu Zuckerberg. "Depois de comprar uma empresa por US$ 16 bilhões, provavelmente você ficará satisfeito por um tempo", completou. O criador do WhatsApp Jan Koum também participou do evento poucas horas antes e anunciou que o aplicativo permitirá chamadas de voz no segundo semestre deste ano.

O Facebook nasceu em fevereiro de 2004 como uma rede estudantil na Universidade de Harvard (Estados Unidos), onde estudava seu co-fundador e principal responsável. Em dezembro de 2004, apenas 10 meses após surgir, o Facebook já tinha um milhão de usuários. Hoje em dia, a rede social conta com mais de 1,2 bilhão de membros, quase a metade das pessoas que têm acesso à internet em todo o planeta.

No ano passado, o Facebook gerou um lucro de US$ 1,1 bilhão e sua intenção é seguir crescendo. Zuckerberg anunciou na última quarta-feira a aquisição, por US$ 16 bilhões, do aplicativo de mensagem instantânea WhatsApp, que tem cerca de 450 milhões de usuários mensais em ativo e apenas 55 trabalhadores. De origem ucraniana, Koum fundou o Whatsapp junto a Brian Acton, um engenheiro americano que conheceu quando trabalhavam juntos para o Yahoo! Inc. Ambos decidiram desenvolver um sistema de mensagem instantânea, que acabou convertendo-se na maior plataforma de mensagem móvel. 

Felpuda


É grande a expectativa em torno de qual foi a justificativa de conhecida figura que beneficiou sujeito, e este, aproveitando a, digamos, boa vontade demonstrada, simplesmente “sumiu do mapa”. Órgão nacional pediu explicações para o “benfeitor”, e o prazo já venceu. Como as decisões por lá não ficam escondidas do distinto público, logo, logo, a curiosidade deverá ser contemplada. É esperar para conferir!