Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 17 de novembro de 2018

Facebook confunde usuários quanto à privacidade, diz consultor

31 AGO 2012Por terra01h:00

Um consultor em segurança online, chamado Avi Charkham, diz que o atual design do Facebook confunde o usuário quanto aos dados que ele está abrindo para a empresa ao dar perimissões de acesso a aplicativos da rede social. Segundo o Daily Mail, Charckham acredita que muitos usuários nem tem conhecimento de quantos aplicativos estão acessando suas informações através do facebook.

"O Facebook continua 'melhorando' seu design e assim mais usuários vão adicionando aplicativos, sem perceber que estão concedendo a esses apps e a seus criadores acesso a informações pessoais", acusa o consultor. "Afinal de contas, o acesso à nossa informação e identidade é a moeda negociada pelo Facebook", acrescenta.

Para demonstrar que o usuário libera informações aos aplicativos sem notar, Charkham listou algumas situações nas quais isso acontece, e que ele considera desleais por parte do Facebook. Uma delas é o uso de um único botão na nova Central de Aplicativos do Facebook. Ao contrário do que acontecia a um tempo atrás, que havia os botões "Permitir" e "Não Permitir" o acesso a determinadas informações ao se instalar um app, agora não há um momento de decisão oferecido ao usuário. No caso de um aplicativo de jogo, por exemplo, o usuário só precisa clicar em jogar e pronto: o acesso aos seus dados é automaticamente liberado.

O consultor também aponta que as permissões acessadas por cada aplicativo, como mencionar que ele pode fazer publicações na Linha do Tempo do usuário, são estrategicamente usadas em letras cinzas para passar despercebidas ao usuário em meio a outros elementos do layout. Também em letras cinzas, e no mesmo local, abaixo do botão para ativar o aplicativo, consta o item "Suas informações básicas" - que lista quais dados do usuário determinado app acessa. Entretanto, elas não estão listadas na página do aplicativo, e para ter mais detalhes o usuário precisa clicar sobre um pequeno ícone em forma de ponto de interrogação, também em cinza.

Charkham diz que a posição de cada informação no layout do Facebook também influi na percepção do usuário. Sabendo disso, além de disfarçar alguns textos usando a cor cinza, os designers também os posicionam abaixo de uma "linha de ação", que prioriza as atrativas imagens coloridas que remetem ao visual dos apps. E ainda: o consultor diz que a nova Central de Aplicativos está com um design muito mais "amigável", o que ajuda a distrair visualmente os usuários, não dando destaque para informações de segurança e privacidade.

O consultor lembra que, apesar de não comentar muito, o Facebook oferece um guia de privacidade, que inclui instruções de como limitar os dados e permissões que o usuário quer conceder a cada aplicativo.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também