Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 19 de setembro de 2018

Facas Voadoras participa do Fora do Eixo

7 ABR 2010Por 20h:00

OSCAR ROCHA

 

A banda campo-grandense Facas Voadoras continua circulando por festivais musicais fora de Mato Grosso do Sul e a perspectiva é continuar no mesmo ritmo após o lançamento do primeiro álbum, "You’re no longer dressed in black", com previsão de chegar ao mercado no fim de maio. A próxima parada, longe das fronteiras locais, acontecerá em São Paulo, no sábado, quando participa do Festival Fora do Eixo (que reúne bandas independentes de várias partes do Brasil), ao lado da carioca Canastra, tocando no CB Bar. "O evento acontecerá em vários locais de São Paulo, como o Itaú Cultural, o Studio SP, entre outros. O bar onde tocaremos fica na Barra Funda e seremos a única banda do Estado no festival", explica o vocalista e guitarrista Leonardo Schimidt.

Na agenda da turma há datas marcadas para o Paraná e Salvador nos próximos meses. Sem contar os vários editais que a banda participa pelo Brasil. "É fundamental nesse momento a gente participar de shows fora de Mato Grosso do Sul, como acontece desde o ano passado, quando conseguimos boa visibilidade por meio da internet e da MTV", aponta o guitarrista.

O primeiro álbum foi patrocinado pelo Fundo de Investimentos Culturais do Estado (FIC), contando com a produção de Geraldo Júnior e da banda. Com 14 faixas, traz seis em português, outras seis em inglês e duas instrumentais. Para Leornado, não há problema em cantar em dois idiomas, a aceitação é positiva. "Acho que não há mais preconceito com as bandas que cantam em inglês. Essa barreira ficou no passado. As pessoas gostam da mesma forma. Um exemplo é uma música da banda goiana Black Drawing Chalks ter sido escolhida a melhor do ano passado pela revista ‘Rolling Stones’; quer dizer, a melhor canção feita no Brasil foi em inglês".

O músico reconhece que escrever em português é mais complicado, exige mais atenção na hora de compor. "O que queremos agora é que tanto a parte em português quanto em inglês tenham a mesma qualidade e destaquem a nossa identidade". No caso da divisão do repertório, Leonardo lembra que foi um processo natural na trajetória da banda. "As faixas em inglês eram antigas e foram lembradas na hora de gravarmos". Mesmo sem lançar o primeiro material oficial, a turma já pensa em outro lançamento em 2010. "Sabemos apenas que será mais pesado do que na nossa estreia", antecipa o guitarrista.

Por enquanto, quem quiser conhecer um exemplar do primeiro CD pode acessar mtv.uol.com.br/rockdomato/blog e ouvir a faixa "Cut your hells off".

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também