Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Fabiana Murer chega ao Brasil e recebe homenagem pelo título

Fabiana Murer chega ao Brasil e recebe homenagem pelo título
17/03/2010 07:29 -


Fabiana Murer viveu uma terça-feira especial. Campeã mundial indoor de salto em altura em Doha, no Catar, a atleta desembarcou no Brasil ontem pela manhã e recebeu um presente de seu patrocinador como homenagem pelo título mundial conquistado no último domingo: um quilo de barra de ouro (o equivalente a R$ 67.597,00). O técnico Élson Miranda recebeu 300 g de ouro (R$ 20.279,10) pela conquista. O presente foi dado pela equipe da saltadora, a BM&VBovespa. Mas o quilo de ouro, representado por um cheque entregue em suas mãos, não foi a maior recompensa dos 29 anos de Fabiana Murer. “Eu que me dei o presente principal (medalha de ouro em Doha). É o sonho de todo atleta”, afirmou. Há exatamente um ano, a atleta também comemorava seu aniversário, porém sem festa e sim na pista, treinando para o decorrer da temporada. Na ocasião, ela havia pedido uma medalha no Mundial Outdoor, ocorrido em Berlim em agosto passado. Na Alemanha, porém, ela ficou apenas em quinto lugar, tendo adiado o presente até o último domingo, no Mundial Indoor. “O presente não era bem esse, mas foi bem vindo”, brincou Murer, em meio a risos. Além dos presentes, Murer também recebeu um telefonema da recordista mundial, a russa Yelena Isinbayeva. “Não me encontrei com a Yelena depois da competição, mas ela me ligou para dar parabéns”, contou Fabiana. A brasileira aproveitou o telefonema para consolar Isinbayeva, que voltou a fracassar. A russa foi mal no Mundial de Berlim, em 2009, e novamente não teve sucesso no Catar. “Ela estava bem chateada e eu tentei dar meu apoio”, disse a brasileira, detentora da primeira medalha de ouro feminina do Brasil em Mundiais Indoor. “Ela ainda brincou dizendo que ainda bem que fui eu que ganhei”, revelou Murer, referindo-se à rivalidade com outras competidoras, principalmente com a também russa Svetlana Feofanova.

Felpuda


Vêm aumentando que só os disparos de segmentos diversos contra cabecinha coroada que, até então, acreditava voar em céu de brigadeiro. O novo coronavírus chegou, ganhou espaço, continua avançando e atualmente tem sido o melhor cabo eleitoral dos adversários. A continuar assim, sem ações mais eficazes, o estrago político poderá ser grande. Observadores mais atentos têm dito que o momento não é de viver o conto da “Bela Adormecida”. Só!