quinta, 19 de julho de 2018

2010

Exportações de couros somaram US$ 1,7 bi

27 JAN 2011Por DA REDAÇÃO05h:30

As exportações brasileiras de couros e peles, em 2010, movimentaram US$ 1,74 bilhão. Esse total representa um aumento de 50% em relação a 2009, quando o setor apurou US$ 1,16 bilhão, mas está 7% aquém do registrado em 2008, ano da crise econômica mundial, quando foi movimentado US$ 1,88 bilhão.
Em dezembro, a receita das vendas externas de couros bovinos foi de US$ 159,57 milhões, incremento de 22% ante o mesmo mês do ano anterior. As vendas físicas somaram 2,52 milhões peças embarcadas, o que representa um aumento de 7% em relação a dezembro de 2009.
O cálculo é do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), com base no balanço geral da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.
“A despeito da recuperação das exportações, o desempenho do setor em 2010 evidenciou os problemas que embaraçam os embarques de couro, como a queda do dólar, principal moeda usada no comércio, e a conseqüente crise cambial”, explica o presidente do CICB, Wolfgang Goerlich.
Segundo o executivo, a indústria brasileira do couro ainda não conseguiu recuperar o preço médio das vendas pré-crise. “Em 2010, a média mensal dos embarques de couros e peles somou US$ 145,2 milhões, ante quase US$ 160 milhões em 2008”, diz Goerlich.
Além dos efeitos negativos da valorização do real em relação ao dólar, o setor enfrentou graves problemas em outras frentes, principalmente aqueles que compõem o chamado ‘Custo Brasil’: a pesada carga tributária, os atrasos na restituição dos créditos da exportação, as altas taxas de juros e de contribuições sociais, a carência de crédito para capital de giro, a gigantesca burocracia, e o ‘apagão logístico do transporte e embarque portuário cujos prejuízos ao setor curtidor são estimados entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões, salienta o presidente do CICB.
 

Leia Também