ECONOMIA

Exportações de arroz são recordes

Exportações de arroz são recordes
21/02/2010 07:43 -


As exportações brasileiras de arroz vão bater recorde ao fim do ano/safra da cultura, em fevereiro. O volume de março de 2009 a janeiro de 2010 chega a 866,3 mil toneladas, base casca, e já supera a marca de 789 mil toneladas de 2008/2009. O levantamento foi feito pelo Instituto Rio- Grandense do Arroz (Irga) com dados do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Os volumes crescentes há seis anos colocam o Brasil no clube dos dez maiores exportadores de arroz, ainda distante das 9 milhões de toneladas comercializadas pela Tailândia, mas bem acima das quase insignificantes 23,5 mil toneladas que vendeu em 2003. O País ainda não é superavitário no item, mas as importações, feitas basicamente do Mercosul, vêm caindo, e podem fechar o ano/safra com volume pouco superior ao das exportações. Até janeiro, chegaram a 871,5 mil toneladas. A atual escalada das exportações começou em 2004. Naquele ano, o volume ainda foi baixo, de 92,2 mil toneladas, mas correspondeu a um salto que quadruplicou as 23,5 mi l toneladas de 2003. Outra multiplicação semelhante elevou o volume para 379,7 mil toneladas em 2005. Após uma pequena queda em 2007, para 319,1 mil toneladas, houve mais um pulo, para 790 mil toneladas em 2008, estimulado pela cotação internacional do arroz, que dobrou de preço, chegando à inédita marca de US$ 1,026 mil a tonelada na Tailândia.(EO)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".