ECONOMIA

Expogrande espera faturar R$ 115 milhões

Expogrande espera faturar R$ 115 milhões
03/03/2010 05:50 -


A 72ª Expogrande foi lançada na segunda-feira com a expectativa de movimentar mais de R$ 115 milhões em 45 leilões de animais e tornar-se efetivamente internacional. O evento que acontece de 18 a 28 de março, terá como um dos principais destaques a presença de países vizinhos. O Paraguai é um dos convidados, e o governador da Província de Amambay, vizinha de Mato Grosso do Sul, Juan Bartolomeu Ancho Ramirez, assegurou, durante a solenidade de lançamento da feira, que vai se empenhar para trazer autoridades de seu país. Ramirez lembrou o fortalecimento das relações entre os dois países, afirmando que o Paraguai, em grande esforço, entendeu que a sanidade animal tinha que ser discutida para o enfrentamento da febre aftosa como problema comum. Como destaque dessa articulação, o governador paraguaio lembrou a mais recente reunião das autoridades sanitárias da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) e o Serviço Nacional de Saúde Animal (Senacsa) – o equivalente paraguaio à Iagro. O presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Francisco Maia, ressaltou a alegria em dirigir a entidade. “Estou muito feliz esta noite. Primeiro por dirigir uma entidade que em sua diretoria tem pessoas muito dedicadas. E, em segundo lugar, por celebrar a homenagem de alguém que eu sempre tive como ídolo, o senhor Laucídio”, continuou. Segundo Maia, a feira este ano terá com principal mensagem que a proteína é o “alimento da vida”. Ele lembrou que muitas vezes a classe produtora é mal compreendida, mas que sem ela muitas das riquezas nacionais não existiriam. “O produtor rural é a base de tudo”. Ele reconheceu o empenho dos parlamentares que estão apoiando a realização da 72ª Expogrande. “Eles abriram mão de suas emendas pessoais para ajudar na feira”. O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), ressaltou que Maia conseguiu reunir a classe política do Estado. Ele lembrou de quando recebeu o pedido do ruralista para tentar trazer o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a cerimônia de abertura da Expogrande. “Disse ao Chico: ‘eu e o senador Delcídio do Amaral (PT) tivemos apoio dos produtores. Agora, os deputados (federais) Vander Loubet (PT) e Antônio Carlos Biffi (PT), eu não sei se estarão dispostos’. Mas eles disseram: ‘se isso é importante para Mato Grosso do Sul e para Campo Grande, pode contar com a gente’”. O senador Delcídio do Amaral destacou que a Expogrande tem ocupado um espaço cada vez mais amplo na economia de Mato Grosso do Sul. De acordo com o parlamentar, à feira, que antes era só de produtores rurais, foi acrescentado expositores de máquinas. “Além disso, vêm milhares de pessoas para se divertir e ver os shows. E agora a feira está se tornando uma das mais importantes no calendário turístico do país”, disse, lembrando que o evento tem forte papel na integração com os países vizinhos. O senador Delcídio do Amaral viabilizou ainda durante o evento, R$ 100 mil dos Correios para patrocinar a Expogrande 2010. “Recebi na sexta-feira a confirmação do atendimento ao pedido que havia feito à direção da empresa. Esses recursos vão se somar a R$ 1 milhão que eu e os deputados federais Vander Loubet, Dagoberto Nogueira e Antônio Carlos Biffi viabilizamos para a Expogrande 2010 através de emenda ao Orçamento da União – R$ 250 mil cada um”, revelou o senador. Homenagens Durante o lançamento da Expogrande, importantes personalidades políticas e ruralistas de Mato Grosso do Sul foram homenageados. A Associação de Criadores reuniu lideranças como o exgovernador Wilson Barbosa Martins; os ex-prefeitos Levy Dias e Lúdio Coelho. O fundador da entidade, Laucídio Coelho, ganhou dos Correios um selo comemorativo em sua homenagem.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".