Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MANHATTAN

Explosão destrói dois prédios e mata uma pessoa em Nova York

Explosão destrói dois prédios e mata uma pessoa em Nova York
12/03/2014 13:23 - FOLHAPRESS


Uma grande explosão destruiu dois prédios em Manhattan na manhã de hoje. Um deles seria uma igreja, segundo testemunhas. O outro era um prédio residencial. Pelo menos uma pessoa morreu, segundo as autoridades, e ao menos 16 teriam ficado feridas no acidente. Ainda não se sabe a causa da explosão e é possível que haja vítimas entre os destroços. As autoridades logo cercaram a área --que fica no East Harlem, na Park Avenue, entre as ruas 116 e 117-- temendo mais desabamentos. Cerca de meia hora depois da explosão, a fumaça ainda tomava a rua. O morador Carlos Lopez, 48, andava do outro lado da rua, quando ocorreu a explosão. "Eu ouvi um grande 'boom', olhei para o lado e vi muitos destroços voando e uma grande nuvem de fumaça preta", disse Lopez.

"Saí correndo, porque estava com medo do que viria depois. Nessa hora, a gente só lembra do 11 de Setembro", afirmou. O pedreiro Eddie Byrd, 50, também estava no local, e disse ter ouvido muitos gritos de socorro. "As pessoas estavam com medo, pediam por ajuda", disse.
Outro morador, Ismail Ruiz, 35, estava numa lanchonete próxima quando ouviu o estrondo. "Tudo chacoalhou, fiquei com medo de que o prédio em que eu estava viesse abaixo, então corri para a rua", disse. "Vi uma mulher correndo, carregando o filho, coberta de cinzas dos destroços."

Gás
Segundo informações da CNN, a empresa de gás de Nova York, Con Edison, teria sido chamada antes da explosão nos prédios para consertar um vazamento no local.
De acordo com testemunhas, há cinco meses houve um vazamento em um dos prédios que desabaram.
 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?