Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 15 de outubro de 2018

Crescimento

Expansão do setor industrial no Estado foi de 4% no ano passado

21 JAN 2010Por 06h:18
No ano de 2009, o setor industrial de Mato Grosso do Sul cresceu quase 4% em relação a 2008. Foram abertas 332 novas empresas, totalizando 9.023 indústrias no Estado. Com isso, a geração de empregos também cresceu – cerca de 6% –, um acréscimo de mais de 6 mil vagas. Hoje os empregados do setor somam mais de 103 mil em, pelo menos, 15 segmentos. A indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico é a que mais emprega no Estado. Cerca de 44% das vagas estão concentradas no setor, conforme o Relatório de Desempenho Industrial, divulgado ontem pela Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (Fiems). São quase 46 mil os trabalhadores na área. Destaque também para setor da construção civil, que gerou 22,7% do total de empregos i ndustria is em 2009. Foram 23,4 mil vagas, que, segundo Alonso Resende Nascimento, vice-presidente do Sindicato da Construção Civil (Sinduscon-MS), se devem ao aumento dos investimentos em grandes obras no Estado. “Foram lançados vários pacotes e muitas empresas investiram aqui no ano passado. Estamos satisfeitos com o crescimento e sabemos que ele será ainda maior em 2010 por conta da previsão de novos empreendimentos”, disse. A previsão de Nascimento é otimista e ao mesmo tempo preocupante, já que a mãode- obra qualificada na construção civil é um grande gargalo de Mato Grosso do Sul. Para o vice-presidente, a questão poderá causar problemas. Poderão faltar profissionais caso não haja empenho no oferecimento de qualificação e também do trabalhador, em buscar o aprendizado. “Estamos aguardando um grande projeto – a escola da construção civil do Senai –, que deve ajudar muito o segmento”, conta. Mobiliário Out ro setor que deve crescer no Mato Grosso do Sul em 2010 é o da madeira e do mobiliário. Apesar de, no ano passado, o segmento ter ocupado a oitava posição na geração de empregos, com 2.617 vagas e o 10º lugar nas exportações do ano, com cerca de US$ 10,3 milhões, ele se manteve estável frente à crise, segundo o Sindicato dos Moveleiros (Sindmad). “Agora o trabalho será de reestruturação das nossas indústrias. A perspectiva é de crescer de 8% a 10% neste ano por conta de incentivos e novas empresas acreditando no nosso Estado”, prevê Juarez Fa lcão, presidente do Sindmad. O setor possui atualmente cerca de 430 empresas funcionando em Mato Grosso do Sul. (AM)
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também