Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

TRÊS LAGOAS

Expansão de fábrica de celulose deve começar no 2º semestre de 2011

18 MAI 2011Por ROSANA SIQUEIRA15h:20

As obras de ampliação da Fibria em Três Lagoas devem começar no segundo semestre deste ano, assim que a empresa conseguir dos órgãos ambientais a emissão da Licença de Instalação, prevista para julho ou agosto. Os investimentos, incluindo maquinário e equipamentos, superam os R$ 3,6 bilhões, sem contar os R$ 1,8 bilhão de investimentos na expansão florestal de eucaliptos. O projeto prevê a duplicação de equipamentos e aumento de produção em mais de 1,75 milhões de toneladas de celulose. Com isso, a produção da Fibria, levando em conta as atuais 1,3 milhões de toneladas, vai superar 3,05 milhões de toneladas/ano de celulose. A indústria passará a ter capacidade máxima de quase 5 milhões de toneladas/ano, após esta expansão industrial.

As informações foram repassadas hoje por representantes da Fíbria em reunião com a prefeita de Três Lagoas Márcia Moura. O gerente geral de Meio Ambiente, Umberto Cinque, e o gerente de Relações Institucionais confirmaram a execução do projeto de ampliação da fábrica de celulose da Fibria em Três Lagoas e a realização da Audiência Pública para apresentação dos Estudos de Impacto Ambiental e Relatório dos Impactos Ambientais (EIA-RIMA), no recinto do Leiloado, no próximo dia 9 de junho, às 19h30.

“Ficamos felizes por Três Lagoas ser o palco de mais esta expansão industrial da Fibria e que nossa cidade caminha para se transformar na capital mundial de produção de celulose. Acreditamos plenamente que a empresa saberá conduzir o desenrolar desse crescimento e continuará sendo parceira do Município, na solução de problemas e no atendimento das necessidades da nossa população”, disse a prefeita Márcia Moura.
 

Na reunião, os secretários da prefeita Márcia Moura tiveram oportunidade de levantar uma série de questões que deverão ser amplamente discutidas para amenizar os impactos ambientais e, principalmente, os impactos sociais que o Município irá sofrer com a chegada de mais de 7 mil trabalhadores para a construção da expansão da fábrica de celulose.
 

OBRAS
“A Prefeitura de Três Lagoas terá que rever e ampliar seu programa de investimentos, principalmente em obras de infraestrutura, voltadas para o sistema viário, a saúde e a educação”, observou o secretário de Finanças Walmir Arantes.
Segundo ele, há necessidade de captação de mais recursos para investimentos em obras de drenagem de águas pluviais, asfalto, construção de escolas e unidades de atendimento à saúde da população.

Por sua vez, o secretário de Meio Ambiente, Mateus Arantes, alertou quanto ao perigo de Três Lagoas se transformar na monocultura do eucalipto, o que não é aconselhável. “Precisamos contar com o apoio da Fibria para que haja estímulo e incentivo a outras culturas, para que se evite, a tempo, o êxodo rural”, alertou Mateus Arantes. “É necessário quebrar o paradigma de que as terras de Três Lagoas servem apenas para fazendas de criação de gado”, observou o secretário de Meio Ambiente

Na reunião também foi destacada a necessidade de levantamento completo das estradas rurais do município e que deverão ser afetadas com a movimentação de veículos pesados. Feito esse levantamento, deverá ser feito estudo de como manter conservadas essas estradas “para que não prejudiquem, principalmente, o tráfego dos ônibus escolares”, observou o secretário Walmir. O raio médio da produção e escoamento de toras de eucalipto é de 60 km.

Leia Também