Sexta, 15 de Dezembro de 2017

62%

Executivos não descartam corrupção

20 FEV 2014Por FOLHA PRESS00h:00

Uma pesquisa realizada pela KPMG revelou que mais de metade (62%) dos entrevistados acredita que sua empresa participaria de um ato de corrupção. O levantamento foi realizado com cerca de 500 altos executivos de empresas brasileiras.

Apenas 21% dos participantes afirmaram que a companhia para qual trabalham não se envolveria com atos de corrupção e 17% disseram não ter certeza.

O levantamento foi feito no começo de fevereiro por meio de uma pesquisa interativa, na qual a resposta era escolhida com o uso de um controle remoto. Os executivos, portanto, não foram identificados.

Entre os entrevistados, 33% afirmaram que sua empresa participou de um ato de corrupção nos últimos 15 meses.

Concorrência

Questionados se suas concorrentes praticam atos de corrupção, 60% dos executivos afirmaram que esse tipo de desvio ocorre com frequência e, para 25% dos entrevistados, esses atos são raros.

Apenas 5% dos entrevistados disseram não acreditar que atos de corrupção ocorram nas concorrentes.

"Aumentar os controles internos é a melhor maneira de minimizar os riscos de se deparar com casos de corrupção dentro da sua empresa", disse Geronimo Timerman, sócio da área forense da KPMG no Brasil.

Controles Internos

Ainda de acordo com o levantamento, apenas 7% dos casos de corrupção foram descobertos por meio dos controles internos. Em 22% dos casos, os mecanismos que ajudaram as empresas foram informantes internos e boatos, logo seguido das linhas telefônicas para denúncia (19%).
 

Leia Também