Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 17 de dezembro de 2018

VIDA

Exame de criança tirada de rio não mostra danos cerebrais, diz bombeiro

25 FEV 2011Por G112h:36

A primeira tomografia da menina Cristal, de 1 ano e 2 meses, que ficou cerca de 20 minutos submersa depois de um acidente de carro na Zona Oeste do Rio, não mostrou danos cerebrais. A informação foi passada, na manhã desta sexta-feira (25), pelos médicos que cuidam da criança no Hospital Miguel Couto, no Leblon, na Zona Sul da cidade, ao capitão do Corpo de Bombeiros Mário Henrique Soares.

“Mas os médicos falaram que ainda não dá para dizer que ela não vai ter sequelas porque o quadro ainda está em evolução. Ela deve passar por um novo exame daqui a 48 horas”, explicou Soares, que comandou o resgate subaquático no local do acidente, na quinta-feira (24).

Emocionado com o resgate, Soares esteve no hospital para visitar a menina nesta sexta-feira (25). “Fui ao leito dela no CTI, fiz um carinho e passei energia positiva de todo o Corpo de Bombeiros. É reconfortante ver ela respirando”, disse o capitão, que afirmou ainda que Cristal está sedada, respirando por aparelhos e, apesar de seu quadro ser grave, segundo os médicos está estável e já houve leve melhora em sua pressão arterial.

Em entrevista ao G1 nesta manhã, o cabo do Corpo de Bombeiros Luiz Carlos Peixoto Castellar, de 33 anos, relembrou como foi retirar a menina da água. “Foi o resgate mais importante que já fiz”. Em 13 anos de corporação e com a experiência de 12 anos como mergulhador, ele contou que é raro uma vítima sobreviver nas condições em que a menina foi resgatada.

“Foi uma emoção muito grande quando o bebê foi reanimado. Normalmente, nessas condições, é muito difícil o afogado sobreviver. Foi muito emocionante. Ainda mais se tratando de uma criança”, disse o cabo, que é casado mas, não tem filhos.

Como foi o resgate
Segundo Castellar, somente mergulhadores teriam condições de salvar a criança. Ele destacou que as condições de resgate eram bastante adversas: rio poluído, fundo e de águas completamente escuras.

“Salvei a menina em um minuto. Foi tudo no tato e na técnica. A água é totalmente escura e não dá pra ver nada. A criança estava presa no lodo do fundo do rio. Mergulhei no local que presumi que estava a menina, perto de onde o carro tinha sido retirado. Fui tocando o fundo com a mão e um minuto depois senti algo diferente”, relembrou o cabo, que saindo do plantão, na manhã desta sexta-feira (25), ainda não teve tempo de descansar.

Motorista em situação complicada
A situação do dono do carro que caiu no rio é bastante complicada. Segundo agentes da 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes), ele dirige há 8 anos com a carteira de habilitação vencida. O motorista deve ser indiciado pelo crime de lesão corporal culposa e pode pegar até 2 anos de prisão.

Na delegacia, o motorista do carro contou que, ao fazer uma ultrapassagem, foi surpreendido por outro carro. Para evitar um acidente, ele teria desviado e acabou perdendo a direção, e caído no rio.

Segundo os bombeiros, o carro tem placa de São Paulo, ee á suspeita de que o motorista estivesse alcoolizado no momento do acidente.

Carro ficou submerso
Além da menina, outras três pessoas estavam dentro do carro no momento do acidente. O resgate das vítimas foi angustiante. Bombeiros, guardas municipais e pessoas que passavam pelo local se jogaram no rio e salvaram os adultos, mas com a água do rio muito escura, não conseguiam achar a menina. O carro ficou totalmente submerso. Foram várias tentativas para retirar o veículo do fundo do rio.

Quando o carro chegou à margem, a criança não estava mais no banco traseiro. Bombeiros e voluntários voltaram a mergulhar e encontraram a menina no fundo do rio.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também