Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

Caso Cachoeira

Ex-tesoureiro consegue direito de ficar calado

20 AGO 2012Por G115h:22

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa concedeu habeas corpus a Jayme Rincón, ex-tesoureiro da campanha do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), para que ele permaneça calado durante depoimento à CPI Mista do Cachoeira. O depoimento de Rincón está marcado para a manhã desta quarta-feira (22).

Com o habeas corpus concedido pelo ministro do Suprem, Rincón deve ser liberado pelo presidente da CPI, senador Vital do Rêgo PMDB-PB). A liberação dos depoentes é um procedimento tomado pelo presidente da CPI toda a vez que um dos depoentes ou testemunhas se reserva ao direito de permanecer calado, sem responder às perguntas.

No caso dos réus do processo envolvendo o esquema do contraventor, o direito de ficar calado para não produzir provas contra si é previsto na Constituição. Já as testemunhas podem ficar caladas caso consigam um habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal.
Rincón já foi convocado outras duas vezes para prestar depoimento à comissão, mas apresentou atestado médico e não compareceu.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também