Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Ex-procurador será levado a júri popular

Ex-procurador será levado a júri popular
30/03/2010 23:19 -


O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) determinou, em decisão publicada no Diário de Justiça de ontem, que o ex-procurador de Justiça (aposentou-se no decorrer do processo criminal) Carlos Alberto Zeolla, acusado de matar o sobrinho Cláudio Alexander Joaquim Zeolla, em março do ano passado, será submetido a júri popular por não mais ter direito a foro privilegiado.

De acordo com o advogado de Zeolla, Ricardo Trad, a decisão do desembargador Atapuã da Costa Feliz determina que o processo seja enviado a uma das varas do Tribunal do Júri de Campo Grande. A justificativa é de que, por ter se aposentado, o ex-procurador teria perdido o direito a julgamento pelo TJMS e deve  ser tratado nas mesmas condições de outros réus acusados do mesmo tipo crime.

O advogado adiantou que, apesar de ter o prazo de cinco dias úteis, não vai recorrer da determinação. “Porque eu entendo que o Tribunal do Júri julga muito bem. Ninguém decide melhor do que o jurado”, afirmou Ricardo Trad.
Apesar da justificativa, ele acredita que a decisão pode ter sido precipitada. “Nós corremos o risco de esse processo ser enviado para o fórum e perder os procedimentos que vão ser colhidos na primeira e na segunda Vara do  Júri. Isso porque essa matéria está sendo debatida no Supremo Tribunal Federal”, afirmou Trad. Segundo ele, o STF ainda não definiu se funcionários de carreira do judiciário perdem ou não o direito de foro privilegiado a partir de quando se aposentam.

Carlos Alberto Zeolla está aposentado desde dezembro passado, com salário de R$ 22 mil. Segundo petição do Ministério Público Estadual (MPE) encaminhada ao TJMS, Zeolla abriu mão do cargo e perdeu o direito de ser julgado por desembargadores.
Carlos Alberto Zeolla está preso desde 3 de março de 2009, quando matou o sobrinho com um tiro na nuca. O crime aconteceu na Rua Bahia, em Campo Grande, quando Cláudio ia para uma academia de ginástica.

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!