Quarta, 13 de Dezembro de 2017

FINLÂNDIA

Ex-preparador de Vettel treina seleção de hóquei

6 FEV 2014Por FOLHA PRESS15h:15

Deu certo para Sebastian Vettel. Agora a seleção feminina de hóquei no gelo da Finlândia que disputa os Jogos de Inverno de Sochi, na Rússia, a partir deste sábado, espera ter a mesma sorte que o tetracampeão mundial de F-1.

Depois de ficar com a medalha de bronze nos Jogos de Vancouver, em 2010, as finlandesas buscam acabar com a hegemonia de americanas e canadenses na modalidade.

Para isso, a federação do país resolveu apostar na melhora da preparação física de suas atletas. E contratou para a função Tommi Parmakoski, o preparador que ajudou Vettel por três temporadas e esteve a seu lado na conquista de seus dois primeiros Mundiais.

Ex-goleiro de hóquei no gelo, Parmakoski ficou conhecido internacionalmente quando o piloto alemão dedicou seu segundo título a ele logo depois de conquistar o bicampeonato em Suzuka.

"Tommi foi quem me fez manter o foco durante o ano e não me deixou pensar em coisas que estão fora do nosso controle", disse Vettel na ocasião.

Logo após a conquista, porém, Parmakoski decidiu deixar Vettel e partir para novos desafios. Entre eles a preparação da seleção finlandesa.

"Eu estava morando na Suíça, mas vivia pelo menos 250 dias do ano em hotéis. Passava mais de 300 dias por ano ao lado de Sebastian e fazíamos tudo juntos: treinávamos, comíamos, viajávamos. Depois do segundo título eu senti que tinha feito meu trabalho e que precisa fazer outra coisa", disse Parmakoski.

"Acredito que você só pode fazer seu trabalho direito quando tem 100% de energia. Aprendi muito com Sebastian", completou o preparador físico, que recebeu elogios de Noora Raty, uma das melhoras jogadoras do país e que serve de consultora da equipe agora.

"Tommi é um cara sensacional e sem dúvida é o motivo de nossa seleção estar tão bem preparada agora. Estamos melhores e mais bem preparadas fisicamente, o que era uma de nossas maiores deficiências há quatro anos", disse Noora.

"Não tínhamos condições de jogar 60 minutos contra os EUA ou o Canadá, mas hoje podemos patinar como eles o jogo inteiro", completou a consultora sobre as seleções que ganharam medalhas na modalidade em todas as edições dos Jogos.
 

Leia Também