Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

superfaturamento

Ex-prefeito e cantor Milionário são condenados por fraude em show

15 FEV 14 - 17h:15g1

A Justiça de Santa Rita do Sapucaí (MG) condenou em primeira instância o ex-prefeito Ronaldo de Azevedo Carvalho e Romeu Januário de Matos, o cantor Milionário, por superfaturamento de um show da dupla "Milionário e José Rico", em maio de 2006. A apresentação, que aconteceu em comemoração ao aniversário da cidade, teria custado R$ 33 mil, mas foi pago com um cheque da prefeitura no valor de R$ 57 mil.

Além do ex-prefeito e de Milionário, também foram condenados Carlos Eduardo Caires, responsável pela Via 7 Comunicação e Publicidade, empresa que contratou o show, e André Renato Martins, que agenciou o evento. De acordo com o Ministério Público, o valor chamou atenção porque na mesma época a dupla recebeu R$ 33 mil para se apresentar em outros municípios do Sul de Minas. Na época, o recibo da apresentação saiu em nome da empresa Via 7, que é de Americana (SP).

“Essa condenação já era esperada até porque os autos eram evidentes com relação aos crimes que eles praticaram”, afirma o promotor Francisco Eugênio Coutinho do Amaral.

De acordo com o promotor, os envolvidos também respondem por uma ação civil pública. “A ação por improbidade administrativa já foi julgada em primeira e segunda instâncias e o Tribunal de Justiça manteve a decisão condenando todos eles a ressarcir os cofres públicos. Não só nos valores que eles receberam a mais, mas também foram aplicadas multas no valor que eles receberam, além da inelegibilidade por 8 anos”, explica.

O show da dupla sertaneja aconteceu no estádio municipal e reuniu milhares de pessoas. A dupla foi a principal atração da noite. Em depoimento ao Ministério Público, o cantor Milionário disse que o contrato firmado com a prefeitura era de R$ 33 mil e que, após o show, ele foi procurado por um homem a mando do prefeito que pediu que ele assinasse um documento com um valor maior. A declaração foi assinada na chácara do cantor, em Mogi-Mirim (SP).

Nesta primeira instância, Milionário foi condenado a um ano e seis meses, em regime aberto, mas a pena foi substituída por restrições de direitos e 10 salários mínimos a uma entidade social de Santa Rita do Sapucaí. André Renato pegou um ano e 10 meses em regime aberto e teve a pena revertida em restrições de direitos e nove salários mínimos. Carlos Eduardo, responsável pela empresa, pegou quatro anos em regime aberto, também revertidos em restrições de direitos e oito salários mínimos, além de dois anos de serviços comunitários.

Já o ex-prefeito Ronaldo de Azevedo Carvalho foi condenado a seis anos em regime semiaberto, mas como ele já tem mais de 70 anos, a pena foi reduzida para cinco anos e oito meses. O ex-prefeito disse que pretende recorrer da decisão.

André Renato Martins, responsável pela venda do show da dupla sertaneja, alegou que ele e o cantor Milionário são inocentes. Carlos Eduardo Caires, responsável pela empresa de eventos, também foi procurado, mas não foi encontrado para falar sobre a decisão.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Deputada do PSL cria campanha para Bolsonaro não ir à ONU
POLÍTICA

Deputada do PSL cria campanha para Bolsonaro não ir à ONU

Produto vencido poderá <br>ser trocado por outro grátis
DIREITO DO CONSUMIDOR

Produto vencido poderá
ser trocado por outro grátis

Justiça de SP aceita denúncia contra seguranças por tortura de jovem
BRUTAL

Justiça de SP aceita denúncia contra seguranças por tortura de jovem

Campo Grande recebe evento sobre investimento de imigração nos EUA
INFORME PUBLICITÁRIO

Campo Grande recebe evento sobre investimento de imigração nos EUA

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião