Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CPI Cachoeira

Ex-assessor de Perillo deve ficar em silêncio

26 JUN 12 - 10h:38Ig

Após uma semana sem trabalhos, devido à participação de parlamentares nas festas juninas do Nordeste e na Rio+20, a CPI do Cachoeira ouvirá nessa semana o depoimento de nove pessoas ligadas aos governadores de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT). Nesta terça-feira, dois dos três depoentes conseguiram no Supremo Tribunal Federal (STF) o direito de ficarem calados.

Com a decisão, Lúcio Fiúza Gouthier, ex-assessor de Perillo não deve explicar o episódio da venda da casa onde o bicheiro Carlos Augusto Ramos foi preso em fevereiro deste ano. O imóvel, num condomínio de luxo em Goiânia, pertenceu ao governador goiano. De acordo com informações prestadas anteriormente à CPI, Fiúza teria presenciado o pagamento referente à venda da casa do governador de Goiás.

O comprador, segundo as investigações da Polícia Federal, seria Cachoeira, preso desde fevereiro deste ano sob suspeita de comandar uma rede criminosa que inclui jogos ilegais e a participação de políticos e empresários.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CRITICOU SUPREMO

Juiz suspende processo contra Deltan Dallagnol

CURITIBA

Defesa de Lula vai à Justiça contra semiaberto que Lava Jato pediu

RIO

Três bombeiros morrem e 3 ficam feridos no combate a incêndio em boate

BRASIL

MP transforma conversão de multas ambientais em pagamento com desconto

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião