Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

CASO CACHOEIRA

Ex-assessor admite amizade com suspeitos

28 JUN 2012Por AGÊNCIA SENADO13h:52

O ex-chefe de Gabinete do Governador Agnelo Queiroz, Cláudio Monteiro disse, aos integrantes da CPI do Cachoeira, ter sido ele o autor das indicações de João Carlos Feitoza, ex-subsecretário de Esportes do Distrito Federal e Marcello de Oliveira Lopes, ex-assessor da Casa Militar para cargos no governo. Ambos foram convocados para prestar depoimento nesta quinta-feira (28) na CPI do Cachoeira.

Segundo a Polícia Federal, Marcello de Oliveira Lopes, o “Marcelão”, teria envolvimento na tentativa de conseguir a nomeação de um aliado de Cachoeira no Serviço de Limpeza Urbana (SLU) da capital. Monteiro disse ser amigo de longa data de “Marcelão” e informou que ele atuava em sua segurança pessoal.

Claudio Monteiro também admitiu ser amigo de João Carlos Feitoza, conhecido como Zunga. Ele é suspeito de receber dinheiro do grupo de Cachoeira e também de ser uma espécie de contato entre o governador Agnelo e o contraventor.

Monteiro afirmou que foi surpreendido com as denúncias sobre o envolvimento de ambos com Cachoeira.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também