Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 10 de dezembro de 2018

BOLíIVIA

Evo enfrenta pior crise desde que assumiu Governo

14 ABR 2011Por AGÊNCIA BRASIL16h:04

Há uma semana, o presidente da Bolívia, Evo Morales, enfrenta a mais aguda das crises já registradas durante seu governo. Várias categorias profissionais, lideradas por professores e aposentados da zona rural, comandam protestos em La Paz reivindicando reajuste médio de 15% nos salários e benefícios. Os protestos geraram embates entre manifestantes e policiais.

Em reação aos protestos, o governo convocou reuniões extraordinárias e chamou os manifestantes para o diálogo. Paralelamente, o ministro da Casa Civil da Presidência, Oscar Coca, assegurou hoje (14) que os manifestantes não correm risco de perder os empregos. Porém, Coca cobrou deles o fim das paralisações e o retorno ao trabalho.

As informações são da agência estatal de notícias a ABI – Agência Boliviana de Informações. Há sete dias, professores, aposentados da zona rural, motoristas de transportes públicos e de caminhões, assim como funcionários do Conselho Nacional de Saúde, protestam na Bolívia.

Para o ministro, alguns setores são essenciais e não podem aderir à greve. Segundo ele, o foco está nas reivindicações dos professores e dos funcionários da área de saúde. De acordo com Coca, os trabalhadores da indústria e da mineração retornaram ao trabalho.

Ainda hoje, Coca se reúne com dirigentes da Central Obrera Boliviana (COB) – a central sindical de trabalhadores da Bolívia – para avaliar as reivindicações e buscar um acordo."O governo enviou nota para os dirigentes do COB para retomar o diálogo", disse o ministro.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também