domingo, 15 de julho de 2018

FIM DE ANO

Eventos unem música erudita e popular

11 DEZ 2010Por Thiago Andrade00h:12

Com a segunda apresentação do espetáculo “Concerto Morena”, que acontece hoje, às 20h, na Concha Acústica Família Espíndola, o desafio de unir a música erudita às composições de música popular aumenta. Como a apresentação acontece na Praça do Rádio, um espaço aberto que difere muito de um teatro, os músicos e técnicos de som terão de lidar com a imprevisibilidade e com ambiente menos controlável. “Embora haja mais dificuldades, em um espaço público a visibilidade é muito maior e qualquer pessoa pode prestigiar nosso trabalho, é mais democrático”, descreve o músico Rodrigo Faleiros, maestro-assistente da Orquestra Municipal Sinfônica de Campo Grande.

Além dos músicos da orquestra, regida pelo maestro Eduardo Martinelli, participam do concerto seis nomes da música sul-mato-grossense: Evelyn Lechuga, Jerry Espíndola, Márcio de Camillo, Masis Brasil e Rodrigo Teixeira. As composições interpretadas pelos cantores abragem desde nomes tradicionais como Paulo Simões e Almir Sater às músicas dos próprios artistas. Este é o caso de Jerry Espíndola, que apresenta “Meu vício” e “Mundo louco”, além de outras duas composições de sua autoria que serão interpretadas por Márcio e Rodrigo.

“Com a variedade de timbres proporcionada pela orquestra, as músicas populares ganham um outro universo. Nós podemos fazer um trabalho acústico de verdade. É uma experiência emocionante”, descreve Jerry. Com esta segunda apresentação, o músico espera uma evolução tanto por parte dos intérpretes, quanto da orquesta. “É um corpo de músicos ainda jovem, com muito para evoluir. Está sendo importante para todos fazer esse trabalho em cima da música popular”, acredita.

Os arranjos ficaram por conta de Eduardo Martinelli, Rodrigo Faleiros e Adriano Magoo. Para a apresentação deste sábado, Rodrigo chama a atenção para algumas modificações, como a inclusão de quatro novos arranjos para canção que ele preferiu não divulgar. “Este é o último concerto do ano para a Orquestra Sinfônica. Estamos bastante animados, pois foi um espetáculo que teve grande repercussão”, pontua.

Festival
Ainda no ambiente da música erudita, o Centro Arte Viva apresenta no fim de semana o XIX Festival Arte Viva. Celebrando mais um ano de atividades da escola, se reunirão no auditório do Sebrae, a partir das 20h, música e artes plásticas. Na programação, haverá recital de música clássica, com apresentações de alunos do centro, assim como também será realizada mostra de artes visuais no espaço do Sebrae. Segundo Clarice Maciel, o repertório inclui composições de Bach, Schubert, Tchaikowsky, Hans Sitt, Chopen, The Beatles, Tom Jobim e Paulinho Tapajós.

Por meio de solos vocais de cantores líricos convidados, solos instrumentais e grupos musicais, como cameratas, a noite será uma celebração da cultura e da arte. “Para cada um dos dias teremos um repertório diferenciado, resultado da vivência das habilidades referendadas no processo de aprendizagem e desenvolvimento das linguagens criativas desenvolvidas nas aulas”, descreve Clarice, diretora do Centro de Arte Viva.

Leia Também