terça, 17 de julho de 2018

Evento preparatório à JMJ reúne 15 mil na Capital

24 JUN 2012Por LUCIA MOREL10h:06

Lá, milhares de fiéis aguardavam a chegada da cruz. Entre eles o casal José Antônio da Siva, 45 anos e Eliane Rosalina, 38. Eles afirmaram que toda a movimentação era voltada para os jovens, mas que consideravam importante participar. “Temos filhos que são jovens e temos que apoiar”, disse José. Para Eliane, os jovens que participam do evento estão “à salvo” de problemas como as drogas e outros vícios. “Aqui eles se aproximam de Deus e se afastam das drogas”.

Esse tema esteve entre os “alertas” do Bote Fé, e durante a caminhada, por várias vezes, o assunto foi comentado pelos animadores do carro de som. “Enquanto tem tantos jovens por aí usando drogas e bebendo, a gente aqui mostra que é possível ser jovem sem precisar disso”, afirmou a estudante universitária, Roberta Ribeiro, 19 anos.

No mesmo coro, os amigos Igor Capilé, 16, e Leonardo de Figueiredo, 15, comentaram que a importância da jornada e do Bote Fé eram a comunhão com Deus e com a igreja. “Aqui a gente está se preparando para a jornada do ano que vem e também tendo mais comunhão com Deus”, disse Leonardo. Igor destacou a ajuda que eles podem prestar às pessoas participando do evento. “A gente aprende a ajudar o outro e trazer mais jovens para a igreja”.

Chegada
Assim que os participantes da caminhada chegaram à Praça do Papa, com os dois símbolos da jornada, foram recebidos com muita torcida e animação. Um corredor foi formado para a entrada da Cruz e do Ícone de Nossa Senhora. Com as mãos erguidas, quem estava no local rezou o Pai Nosso e a Ave Maria para receber os símbolos.

Para o Padre Adaílton Miorín, que acompanhava o evento, a JMJ é uma mobilização mundial que pretende mostrar a “força jovem da igreja [católica] e acolher a juventude como um todo”. Na opinião dele, o movimento ainda tem o objetivo de unir os jovens no propósito da igreja. “O jovem te que mostrar seu papel na sociedade e a jornada incentiva exatamente isso”, destacou.

As atividades seguem até dia 26, terça-feira, com vigílias, visitas a presídio, Santa Casa, asilo, shows, e uma passeata pela cidade, quando os devotos pedirão paz no trânsito.
 

Leia Também