Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

Europa deve se beneficiar de seca nos EUA e Brasil para se tornar exportador de grãos

31 AGO 2012Por AGÊNCIA BRASIL17h:27

Enquanto produtores norte-americanos e brasileiros contabilizam perdas da atual safra de grãos, a seca que prejudicou a produção em diversas regiões do mundo, afetou em menor proporção os produtores europeus de cereais, mesmo com Portugal tendo registrado as maiores quebras de produção dos últimos sete anos. Com isso a União Europeia deve exportar um excedente de 10 milhões de toneladas de grãos, aproveitando-se da alta dos preços no mercado mundial.

Segundo estimativas da Comissão Européia, as perdas no continente devem representar cerca de 2,2% da produção. Nos Estados Unidos, os produtores estimam prejuízos entre 20% e 30%. Em algumas regiões do Brasil, como o Nordeste, uma das mais afetadas pela estiagem, apenas o cultivo de feijão registra prejuízos de quase 70%.

Os prejuízos da produção norte-americana têm impactado diretamente os preços de grãos no mercado mundial desde o ano passado. Os preços do milho, por exemplo, atingiram nível recorde em agosto, com a redução da produção nos EUA. O mesmo aconteceu com o trigo, que teve trajetória ascendente no valor negociado. O efeito reflexo afeta ainda o mercado de carnes, com a alta do preço das rações.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também