Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

Laurent Gbagbo

EUA pedem renúncia imediata de presidente da Costa do Marfim

3 ABR 2011Por terra09h:24

O governo dos Estados Unidos afirmou neste domingo que o presidente da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, que não é reconhecido pela comunidade internacional, deve renunciar de maneira imediata. "Os Estados Unidos pedem ao ex-presidente Laurent Gbagbo uma renúncia imediata", afirma a secretária de Estado Hillary Clinton em um comunicado. "Gbagbo está levando a Costa do Marfim à anarquia. O caminho à frente é claro. Ele deve se afastar agora para que termine o conflito".

O pedido foi feito após um dia de intensos combates no centro de Abidjan. Gbagbo rejeita os pedidos da comunidade internacional para que deixe o poder, em meio a uma ofensiva das tropas que respaldam o presidente reconhecido internacionalmente, Alassane Outtara, em Abidjan. A Cruz Vermelha informou que 800 pessoas morreram na localidade de Duekoue, oeste do país.

Costa do Marfim: da eleição presidencial a nova guerra civil
Em 28 de novembro de 2010, os eleitores da Costa do Marfim foram às urnas na esperança de escolher o novo presidente para um país que há menos de 10 anos vivera uma violenta guerra civil. No entanto, quatro meses depois, quando o novo governo já poderia estar em plena gestação, o país se encontra dividido entre forças rivais que disputam a vitória eleitoral e, com ela, a liderança legítima da nação.

De um lado está Laurent Gbagbo, presidente desde 2000 e com sede no Sul do país; do outro, Alassane Ouattara, sediado no Norte e com amplo apoio da comunidade internacional. Enquanto a pressão pela renúncia de Gbagbo cresce e o avanço de Ouattara em direção a Abidjan se concretiza, o país se aproxima de guerra civil, na qual dezenas de milhares morreram e milhares deixaram o país.
 

Leia Também