Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

COMÉRCIO

EUA anunciam crescimento de 2,0% a poucos dias das eleições

29 OUT 2010Por PORTAL TERRA12h:48

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta sexta-feira a aguardada primeira estimativa de crescimento econômico do país no terceiro trimestre (+2,0%), a poucos dias das eleições legislativas e de uma reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central).

A economia registrou uma leve aceleração entre julho e setembro em termos anuais na comparação com o trimestre anterior, de acordo com o Departamento do Comércio, dentro das previsões dos analistas.

Durante o verão (hemisfério norte), foi registrado o quinto trimestre consecutivo de alta do PIB americano desde o início da recuperação econômica pós-recessão, que terminou oficialmente em junho de 2009.

O Departamento do Comércio destacou que a aceleração do crescimento foi "leve" em relação à primavera.

Com o resultado de 2,0%, a alta permanece inferior ao potencial de crescimento do país, o que significa que a economia ainda não está vigorosa o suficiente para permitir uma redução da taxa de desemprego nos Estados Unidos, que no fim de setembro registrou o maior nível de uma geração: 9,6%.

A alta da taxa de crescimento reflete, em primeiro lugar, "uma clara desaceleração das importações e uma aceleração da produção em estoque e do consumo residencial", de acordo com o Departamento.

As contribuições positivas ao crescimento foram compensadas, em parte, por uma queda dos investimentos das famílias em habitação e por uma clara desaceleração dos investimentos das empresas e das exportações.

Motor tradicional da atividade econômica nos Estados Unidos, o consumo residencial cresceu 2,6% no terceiro trimestre (depois de uma alta de 2,2% nos três meses anteriores), representando 1,79 ponto do crescimento do país.

O comércio exterior, que afetou em 3,5 pontos a alta do PIB na primavera, havia sido responsável por apenas 2,0 pontos no terceiro trimestre.

O aumento das reservas das empresas cooperou com 1,44 ponto para o crescimento no período.

A forte contribuição da produção armazenada também tem um lado negativo: as vendas finais aumentaram apenas 0,6% no terceiro trimestre, depois de uma alta, já frágil, de 0,9%, no período anterior.

A economia permanece sustentada pelas medidas de estímulo do governo. Os gastos públicos aumentaram 3,4%, representando 0,7 ponto do crescimento, levemente abaixo do trimestre anterior (0,8).

Um sinal preocupante é a queda expressiva da contribuição dos investimentos das empresas, que havia estimulado consideravelmente a recuperação: no período, representou apenas 0,9 ponto no crescimento, contra 1,5 no segundo trimestre.

O anúncio da alta do PIB a poucos dias das eleições legislativas de 2 de novembro representa um alívio para os democratas do presidente Barack Obama, que estão em desvantagem nas pesquisas em relação à oposição republicana.

Paralelamente, a desaceleração da demanda final e dos investimentos deve dar elementos aos diretores do Fed que são favoráveis a novas medidas de recuperação monetária para sustentar o crescimento. Eles devem anunciar uma decisão um dia depois das eleições legislativas.

Leia Também