Segunda, 18 de Junho de 2018

ETH Bioenergia vai investir R$ 1,6 bi em usinas de MS

19 FEV 2010Por 08h:24
receber até 2012, R$ 1,6 bilhão em investimentos em três usinas de etanol. Os recursos virão a partir da união da ETH Bionergia e a Brenco firmada ontem, após quatro meses da assinatura de um memorando de entendimentos. A nova empresa nacional, que manterá o nome ETH Bioenergia, produzirá 3 bilhões de litros de etanol e 2.700 gigawatts (Gwh) de energia elétrica em 2012. Terá capacidade de moagem equivalente a 40 milhões de toneladas de cana por safra em nove unidades industriais, com operações agrícolas 100% mecanizadas. Contando com duas usinas de álcool da ETH Bioenergia (a Santa Luzia em Nova Alvorada do Sul e a Eldorado em Rio Brilhante) e uma da Brenco (usina de Costa Rica) ainda em instalação, MS será privilegiado com a nova gigante do etanol brasileiro. Juntas, as empresas investiram R$ 3,8 bilhões no País e têm um compromisso de investimento adicional de R$ 3,5 bilhões, no período de 2010 a 2012, para levar as nove unidades à capacidade máxima de produção. “Esta operação estratégica representa um passo decisivo nos planos de crescimento da ETH e cria uma empresa líder de bioenergia, que combina competitividade e sustentabilidade”, disse José Carlos Grubisich, presidente da ETH Bioenergia, durante coletiva sobre a fusão. “As duas empresas apresentam um conjunto de ativos que reúne tecnologia e escala, fortalecendo o conceito de formação de polos de produção”, afirma Philippe Reichstul, presidente da Brenco. No acordo, a Odebrecht S.A., em associação com a Sojitz Corporation, passa a deter 65% do capital da ETH Bioenergia, e os acionistas da Brenco participam com 35%. A empresa tem 7.600 integrantes e, com o programa de investimentos previsto para os próximos anos, atingirá o número de 10.000 integrantes em 2012. Usinas em MS Com recursos previstos de até R$ 800 milhões, a usina de Costa Rica deverá entrar em operação no próximo ano. A unidade vai processar 3,8 milhões de toneladas de cana-deaçúcar por safra, gerando 350 milhões de litros de etanol anualmente, e 1,8 mil empregos diretos. Além de produzir álcool anidro e álcool hidratado, a indústria terá potência instalada para co-geração de até 300 Gwh (gigawatts/hora) de energia elétrica a partir do bagaço da cana, destinada ao consumo próprio e à comercialização para terceiros. Já as usinas Santa Luzia, em Nova Alvorada do Sul, que tem capacidade de moer 3 milhões de toneladas de cana; e a Eldorado que processa 2,1 milhões toneladas, têm previsão de produzirem este ano, 540 milhões de litros de álcool e 180 milhões de álcool, respectivamente. As usinas também vão gerar energia a partir da biomassa da cana. Até 2012, a usina de Nova Alvorada deverá produzir 380 Gwh e a Eldorado 220 Gwh. A notícia animou a Secretária de Produção, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, que aposta na consolidação do Estado como nova fronteira do setor no País. “Esta notícia nos deixa muito satisfeitos, principalmente porque abre espaço para a retomada de importantes projetos no Estado, como a instalação da Usina da Brenco em Costa Rica”.

Leia Também