ESPORTES

Etapa da Fórmula 3 tem disputa acirrada na Capital

Etapa da Fórmula 3 tem disputa acirrada na Capital
18/07/2010 21:45 -


Arlindo Florentino

Marcada por uma forte disputa pelos primeiros lugares, mas sem qualquer incidente na pista, o paulista Lu Boesel, da Dragão Motorsport, conquistou ontem a vitória na 8ª corrida (a segunda do dia em Campo Grande da F3 Sul-Americana). Boesel assumiu a ponta logo na largada e manteve a posição até a bandeirada final. O pódio foi completado por Bruno Andrade e Yann Cunha, que, na primeira corrida do dia, havia conquistado a sua primeira vitória na temporada
“Eu larguei bem, impus ritmo forte no começo e consegui uma boa distância. Depois de tanto forçar, o carro deu uma desequilibrada, mas eu consegui segurar a posição. Foi uma prova emocionante”, afirmou Lu Boesel, que deu à sua equipe a primeira vitória na temporada.
Com o resultado, Boesel mantém a quarta posição na classificação geral, mas diminui a diferença para o terceiro lugar, Nilton Molina, de 16 para três pontos. A liderança e vice continuam nas mãos de Bruno Andrade e Yann Cunha, respectivamente. Quem não se deu bem foi Leonardo Souza, da Kemba Racing, que, após problemas na largada, iniciou a prova atrasado e não concluiu.
Na categoria Light, Fernando Rezende “Kid” conseguiu sua sétima vitória da temporada. Em segundo lugar no pódio da Light ficou Ronaldo Freitas e o angolano Duarte Ferreira fechou a corrida como terceiro da Light.
A competição segue hoje com a terceira corrida em Campo Grande e a nona da temporada, com a largada programada para as 13h45min. Haverá também a disputa da primeira etapa do Estadual de Motovelocidade.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".