Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

CUSTO DE VIDA

Etanol puxou inflação na Capital em março

5 ABR 2011Por DA REDAÇÃO09h:04

A inflação na Capital apresentou moderada alta no mês de março, da ordem de 0,38%, em relação a fevereiro devido, principalmente, aos reajustes de preços dos combustíveis, com destaque para o etanol, cujo reajuste neste mês de março foi em média de 10,27%. “A inflação acumulada nos últimos 12 meses, que foi de 6,56%, continua ultrapassando o limite superior da meta inflacionária do país estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional, de 6,5%. O centro da meta é de 4,5%, com tolerância de 2% para mais ou para menos”, informa o coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (Nepes) da Universidade Anhanguera-Uniderp, Celso Correia de Souza.

Dos sete grupos que compõem o Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG), somente Despesas Pessoais apresentou deflação (-0,10%). “Nos outros grupos, os preços reagiram de acordo com o esperado. De modo geral, os valores da carne bovina continuam baixando, principalmente dos cortes mais nobres, como picanha e filé-mignon”, afirma o coordenador do Nepes.

Em março, o grupo Habitação apresentou uma pequena inflação 0,22%, em relação ao mês de fevereiro, devido, principalmente, aos aumentos nos seguintes produtos: DVD 8,95%, Ventilador 7,25%, computador 5,42% e liquidificador 3,24%. Quedas de preços ocorreram com os produtos como lâmpada incandescente (-8,40%), televisor (-6,11%), fogão (-5,97%) e limpa vidros (-4,95%).

Já no grupo Alimentação ocorreu moderada alta de 0,24%. “Esse grupo tem um comportamento especial em conseqüência de fatores climáticos ou a sazonalidade de alguns de seus produtos, como no setor de hortifruti. Alguns produtos aumentam de preço ao término da sua safra, outros diminuem quando entram na safra.

Leia Também