Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Estudo

Estudo: 9 em 10 brasileiros não consomem cálcio recomendado

19 MAR 11 - 07h:33Diário da Saúde

Em um dia ensolarado, dentro de um ônibus lotado, o conforto passa longe. Além de se sentir espremido (seja em pé ou nos assentos), o usuário ainda pode chegar suado ao seu destino. Essa pequena perda de suor durante o trajeto, somada ao sol, significa que o adulto perde até 100 miligramas por hora de cálcio (primordial para a formação dos ossos e dentes). Segundo uma pesquisa desenvolvida no Brasil - The Brazilian Osteoporosis Study (Brazos) - , 9 em cada 10 pessoas da população abordada de várias regiões do País não consomem a quantidade diária do elemento recomendado para manter a saúde dos ossos e, consequentemente, não se previnem da osteoporose e a redução do risco de desenvolvimento de fraturas. As informações foram apresentadas em uma demonstração dos produtos da marca Nestlé, empresa que atua no segmento da nutrição, nesta semana.

De acordo com o professor de nutrição da Universidade de São Paulo (USP) Antonio Hebert Lancha Junior, três copos com leite e mais um complemento, como o queijo, são necessários para suprir 100% das necessidades diárias de cálcio de um adulto, que é de 1.000 miligramas por dia. E completou: "é importante ingerir cálcio antes de uma atividade física ou até uma caminhada para preservar a integridade óssea e, assim, diminuir a secreção do hormônio paratireoidiano, que retira o cálcio dos ossos".

Uma preocupação, conforme explicou a nutricionista Camila Freitas, é a troca do leite por um refrigerante logo pela manhã. "Eu vejo pessoas que fazem isso. É o excesso de sódio e cafeína que inibem a ação do cálcio", afirmou.

Cálcio no Brasil
A pesquisa informou que as pessoas estudadas consomem apenas cerca de 39% das recomendações diárias de cálcio (1.000mg/dia), o que pode ocasionar em aumento dos riscos da osteoporose e fraturas.

Ainda de acordo com o levantamento, a partir dos 35 anos, as pessoas começam a perder massa óssea - contudo, a perda pode ser corrigida ao ingerir quantidades adequadas do nutriente diariamente. "O acúmulo de cálcio é feito até os 35 anos. Depois, há só a manutenção, como se estivesse estabilizado", explicou Camila. "Tem que fazer o equilíbrio entre síntese e degradação, para evitar o sedentarismo".

As vitaminas A e D também são importantes para a saúde óssea. De acordo com a pesquisa, 33% da população consomem as recomendações diárias de vitamina A, enquanto 42% a de vitamina D. Para Camila, o ideal seria consumir peixes gordurosos três vezes por semana para adquirir vitamina D.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Congresso aprova crédito para Petrobras e viabiliza leilão do pré-sal

Flamengo dá baile em Maracanã lotado e Grêmio dança
GOLEADA

Flamengo dá baile no Maracanã e Grêmio dança

FILHO DO PRESIDENTE

Eduardo Bolsonaro desiste, e Forster é cotado para embaixada

Eduardo não conseguiu convencer senadores a apoiarem seu nome
MUDANÇAS

Comissão da reforma dos militares suspende sessão pela 2ª vez para buscar acordo

Há reclamação por parte de parlamentares e de policiais

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião