OLIMPÍADAS ESCOLARES

Estudantes de MS garantem mais 5 medalhas nos Jogos

Estudantes de MS garantem mais 5 medalhas nos Jogos
13/09/2010 14:04 -


Arlindo Florentino, Fortaleza (CE)

Mato Grosso do Sul conquistou ontem mais cinco medalhas nas Olimpíadas Escolares, que estão sendo disputadas em Fortaleza (CE). Foram mais duas de ouro, no judô e tênis de mesa, e três de bronze, sendo duas no judô e outra na natação. De acordo com os treinadores, a média tem sido boa e o Estado ainda tem condições de ampliar a sua coleção, pois hoje disputa a final dos 250 m com Rogério de Oliveira Silva e entra na disputa por equipes no judô e individual no tênis de mesa, com grandes chances de chegar à final.
O ouro no judô foi conquistado por Larissa Farias, do Colégio Adventista, de Corumbá, na categoria meio-leve (-44 kg). Depois de quatro lutas, a final foi contra a representante de São Paulo, com o resultado sendo no hantei (decisão dos árbitros) por 3 a 0. No tênis de mesa, a conquista da medalha de ouro foi no torneio por equipes feminino, na qual as representantes do Estado foram Evelyn Tomi e Bianca Ono, ambas do Colégio Dom Bosco de Campo Grande, que venceram na final a equipe de São Paulo.
As medalhas de bronze vieram no judô com o meio médio Luís Henrique Grincevicus do Colégio Sealp e Vinícius Pompeu Prux, da Escola João Evangelista, de Campo Grande. Na natação, Pedro Castro, do Colégio Objetivo, de Corumbá, ficou com a terceira colocação e com o terceiro bronze do dia.
Para os treinadores que acompanham os atletas na competição, a campanha pode ser considerada como satisfatória, servindo de incentivo para os atletas das modalidades coletivas, que começam a competir na próxima sexta-feira.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".