Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

Psicologia

Estudante feriu colega a facadas por causa de amor platônico, diz defesa

23 MAR 2011Por G122h:50

O advogado de defesa do estudante de medicina suspeito de esfaquear uma colega de curso em Belo Horizonte afirmou que o jovem de 21 anos admitiu ter cometido o crime por causa de um amor não correspondido. “Ele admite a relação, um amor platônico, não é uma relação física. Admite, assume as facadas e por isso ele está respondendo”, falou o advogado José Rattes de Carvalho.

Vitor Guilherme Ribeiro se apresentou à polícia na tarde desta terça-feira (22), prestou depoimento e foi liberado. Ainda segundo o advogado de defesa, que é tio do suspeito, o caso precisaria ser analisado por um psicanalista para explicar a motivação da agressão. “Isso vai ter que, talvez tecnicamente, ficar para um psicanalista explicar o motivo do que aconteceu”, completou.


A Polícia Civili informou nesta quarta-feira (23) que pediu a prisão temporária de Ribeiro e aguarda apreciação da Justiça, que expede o mandado de prisão.

Maria Luiza Costa Pinto, de 21 anos, levou oito facadas e está internada na enfermaria do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, na capital. Ela deixou a Unidade de Terapia Intensiva nesta terça-feira (22) e, segundo o hospital, está consciente e o quadro de saúde é considerado estável.

O crime aconteceu no sábado (19), quando a estudante e o pai chegavam em casa. Ribeiro estaria com o rosto encoberto por um pano quando começou a atacar Maria Luiza a facadas, segundo relato de testemunhas.

O pai da estudante sofreu ferimentos leves. Ele presenciou toda a agressão à filha. “Eu vi ela deitada no chão voando sangue pra todo lado. Vi um rapaz se levantando e correndo e eu saí no encalço dele. Ele correu pro portão automático, mas o portão já tinha acabado de fechar. Ele não conseguiu sair, eu entrei em luta com ele e ele me jogou no chão e escalou o portão, passou por cima da cerca elétrica e cai na rua”, contou o pai da vítima.

Leia Também