Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 16 de novembro de 2018

Trama

Estudante é condenada a sete anos por assaltar a própria mãe

24 FEV 2011Por G122h:30

A Justiça do Rio condenou a 7 anos e 8 meses de prisão a estudante de direito Lauren Maya Portella Silva dos Santos, de 19 anos, pelo crime de roubo. Ela foi acusada de tramar um assalto à própria mãe com a ajuda do namorado, Marcos Vinicius Almeida, em agosto de 2009. Ainda cabe recurso da decisão.

Só ela ainda respondia em liberdade. Os demais envolvidos já estão presos. O advogado de Lauren, Matusalem Lopes de Souza, disse ao G1 que vai aguardar a publicação da sentença no Diário Oficial para se pronunciar e decidir que medidas pretende tomar na defesa de sua cliente.

Segundo a investigação, a dupla queria que tudo parecesse um roubo de carros comum. Mas eles estavam sendo monitorados pela polícia. Jovem, bonita e bem educada, Lauren Mayá Portella deverá cumprir pena em regime inicial fechado.

Na sentença, o juiz Richard Robert Fairclough, em exercício na 6ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, ressaltou que Lauren “ao mesmo tempo em que sincroniza a ação do roubo, fala com a vítima, sua mãe, se despedindo, e ainda pede para que a mesma traga um doce da festa.” Para o magistrado, a estudante agiu de forma dissimulada, ardilosa e não demonstrou preocupação ou arrependimento.


Gravações telefônicas comprometeram estudante e namorado


“Independente de quem tenha partido a idéia, Marcos ou Lauren, o fato é que ambos foram responsáveis pelo planejamento do roubo. Marcos ficou encarregado de contactar Rodrigo e Bruno, que iriam executar o roubo, enquanto Lauren passaria todas as informações ao grupo, indicando qual seria o melhor dia, hora e local para a execução”, afirmou o juiz na sentença.

Gravações telefônicas confirmaram o envolvimento da estudante e do namorado no crime. Também foram condenados: Marcos Vinícius, a 6 anos, 10 meses e 15 dias de reclusão; Rodrigo Marques Cerqueira, a 6 anos, 2 meses e 7 dias de reclusão; e Bruno Pereira Cardoso, a 5 anos e 6 meses de reclusão. Todos em regime inicial fechado.


Segundo denúncia do Ministério Público estadual, o crime ocorreu na noite do dia 12 de agosto de 2009, na Rua Júlia Távora, próximo à Praça de Skate, em Nova Iguaçu. A mãe da estudante, que é professora universitária, foi abordada a 300 metros de sua casa, por Rodrigo e Bruno.


Eles estavam em uma moto e portavam arma de fogo. Observados por Marcos Vinícius, a dupla levou o veículo, um Fia Palio EX, o celular e a carteira da vítima.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também