Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

BELO HORIZONTE

Estudante confessa que matou professor

9 DEZ 2010Por AGÊNCIA ESTADO, BELO HORIZONTE04h:20

O estudante Hamilton Loyola Caires, de 23 anos, confessou ontem, em depoimento à Polícia Civil mineira, ter assassinado o professor Kássio Vinicius Castro Gomes, de 39 anos. O docente foi morto a facadas na noite de terça-feira, dentro da faculdade Instituto Metodista Izabela Hendrix, no bairro de Lourdes, área nobre de Belo Horizonte.

Caires fugiu após o crime e acabou preso durante a madrugada. Ele foi encontrado por policiais militares em seu apartamento, logo depois de chegar em casa, pouco depois das 2h de ontem, sendo levado para o Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DIHPP) da Polícia Civil. O assassinato, ocorrido em um corredor da faculdade, foi filmado pelas câmeras de segurança da instituição.

Após prestar depoimento, o estudante foi levado para fazer exame de corpo de delito e, em seguida, encaminhado ao Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) da Polícia Civil, onde deve permanecer à espera de julgamento.

Aluno do 5º período do curso de Educação Física, o estudante alegou em seu depoimento que era "perseguido" pelo professor, mas negou que tivesse a intenção de matar o docente. Segundo a polícia, o rapaz disse que levou a faca usada no crime para a faculdade apenas para "intimidar e assustar" Castro Gomes

No entanto, o histórico do estudante revela envolvimento em outros problemas anteriormente. Em 2008, por exemplo, ele já havia sido acusado de ameaçar funcionários e professores da faculdade Universo, onde estudava. Pela denúncia, Caires inclusive insinuava andar armado na instituição, mas o caso nunca chegou a ser apurado. Este ano, ele voltou a se envolver em uma ocorrência policial, ao levar amigos para tentar agredir o funcionário de um bar acusado por Caires de ter dado um troco errado.

Em nota, o Instituto Metodista Izabela Hendrix lamentou o fato e considerou o caso "um episódio isolado". A instituição afirma que há 52 vigilantes e 53 câmeras para garantir a segurança interna.

Leia Também