Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

Capital

Estoque fator negativo do Hemosul chega a nível preocupante

2 JUN 2011Por Laís Camargo16h:00

Campo-grandense já sabe como é: um pouquinho de frio e ninguém sai de casa se não for por extrema necessidade. Nessas ocasiões, os acidentes de trânsito continuam a acontecer e as pessoas que fazem tratamento sanguíneo prosseguem também. Contudo, os estoques de sangue do Hemosul estão críticos, principalmente os de fatores negativos. Hoje a tipagem AB – atingiu o estoque de uma bolsa, mas o limite mínimo é de dez.

Esta tarde, cerca de 50 capoeiristas se propuseram a doar sangue para ajudar nos estoques. Enquanto alguns doam, outros ficam em frente ao Hemosul, com berimbaus, atabaques e pandeiros, divulgando a amplitude da manifestação cultural que é a capoeira. “Todo ano fazemos um evento, em 2011 quisemos agregar os alunos, pais e parentes para vir ajudar, porque é algo que temos que fazer sempre”, comenta o mestre Liminha, do grupo Ilê Camaleão.

O que é preciso

Para doar, é preciso ser maior de 18 anos e ter menos de 65. As condições de saúde devem estar boas, bem alimentado e sem sinais de gripe. É preciso ter acima de 50kg, estar a 12 horas sem ingerir álcool e levar documentação com foto. Após preencher o formulário de inscrição, a doação leva entre 5 e 10 minutos.

O ideal para atendimento ao Mato Grosso do Sul é de 120 doações por dia, a média neste final de maio foi de 70. Agora com o inverno, os estoques tendem a baixar ainda mais. A doação deve ser constante, pois o sangue é separado em componentes; as plaquetas, por exemplo, duram apenas cinco dias após a doação. Servidores públicos ganham um dia de férias a cada doação que fazem.
 

Leia Também