Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 19 de outubro de 2018

Estelionatário preso ao aplicar golpe no comércio da Capital

7 AGO 2010Por 08h:06
MICHELLE ROSSI

Acusado de estelionato, Edson Aparecido da Silva, 26 anos, foi preso por golpes no comércio de Campo Grande, utilizando-se de documentos e lâminas de cheques falsos. Ele foi capturado ao tentar comprar uma peça de caminhão com documentos e cheque falsos.
Conforme a Polícia, Edson Aparecido é natural de Fátima de Sul e disse que pagava R$ 25 por lâmina de cheque falso e R$ 150 pela compra de um documento pessoal roubado, como RG, CPF ou ainda carteira de habilitação.
A Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) foi acionada depois que o comerciante de uma loja localizada na Avenida Zahran, desconfiou do estelionatário que acabou sendo preso em flagrante. Este é o primeiro caso de golpe registrado em 2010 pelo Garras.
Os policiais apuraram que Edson Aparecido estava acompanhado de uma pessoa, que o esperava no carro enquanto o golpe era aplicado. Mas, ao perceber a movimentação dos policiais, o segundo envolvido conseguiu fugir, tomando rumo ignorado. Diligências já estão sendo realizadas, visando à sua prisão.
Com o detido, a polícia encontrou várias lâminas de cheques, CPF, uma carteira de habilitação e quatro RGs. A maior parte dos cheques estava no nome de Fabio Pereira da Silva Santos, de São Paulo, e outros eram pertencentes a Joel Acosta Lara e Ramão Josemar Souza Matos. Os RGs foram emitidos em Mato Grosso do Sul e em São Paulo.

Modus operandi
O estelionatário contou aos policiais que colava sua própria foto nos documentos  roubados de outras pessoas. O delegado do Garras, Ivan Barreira, informou que provavelmente esses documentos são comercializados por quadrilhas do sul do Brasil. “Eles têm o cuidado de usar aqueles documentos que comprovadamente não têm restrição de crédito”, informou.
O delegado acredita que a maior parte das tentativas do golpista deve ter tido êxito. “As pessoas têm de desconfiar mais e, para aceitar um cheque, precisam até ter informações sobre quem é aquela pessoa. Não ficar só na checagem convencional”, aconselhou o delegado, que agora procura no comércio mais possíveis cheques falsos emitidos pelo golpista.
Segundo os policiais envolvidas nas investigações, foram localizados orçamentos de lojas de tintas, que seriam possíveis alvos de futuros golpes. Ainda conforme a polícia, este é o primeiro caso desse tipo de golpe registrado este ano. No ano passado, uma quadrilha chegou a ser presa  sob acusação de prática semelhante.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também