CAMPO GRANDE

Estelionatário aplicou R$ 1 milhão em golpes

Estelionatário aplicou R$ 1 milhão em golpes
10/08/2012 11:15 - Michelle Rossi e Gabriel Maymone


A Polícia Civil apresentou nesta manhã o casal Valfrido Gonçales Filho, de 33 anos, e Maria Aparecida Padilha, de 33, acusado de golpes que, somados, podem chegar a R$ 1 milhão em Campo Grande.

Segundo as investigações, Valfrido se passava por médicos, desembargadores e empresários. Imitando a voz das vítimas, o golpista ligava para as secretárias e dizia estar em situação de emergência – carro quebrado, sequestro – e precisava de dinheiro, obrigando que as funcionárias efetuassem depósitos em sua conta.

Já foram identificadas ao menos 12 vítimas na Capital, nos últimos seis meses, mas a polícia apurou que Valfrido agia em todo o país desde os 17 anos. A namorada dele trabalhava em um hospital e é apontada pela polícia como a fonte de informação de Valfrido.

Os dois foram indiciados pelo crime de estelionato. Valfrido confessou vários crimes, inclusive um em que se fez passar por padre reitor da Universidade Católica do Paraná. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".