Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

'INVISÍVEIS'

Estado tem 46 testemunhas obrigadas à vida secreta

16 MAI 2011Por MICHELLE ROSSI00h:00

Quando o narcotraficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, instalou-se na região de Capitan Bado no lado paraguaio que faz divisa com o Brasil, contratou algumas pessoas da construção civil para pintar e reformar sua casa. Claro que a contratação não foi feita pelo próprio Beira-Mar, mas por um de seus funcionários. Na casa, esses construtores vindos de Mato Grosso do Sul,  encontraram uma quantia considerável de dinheiro e resolveram furtar algumas cédulas. Resultado: descobriram da forma mais cruel que proprietário do dinheiro era o poderoso narcotraficante.

Uma dessas pessoas nunca mais foi vista e a outra passou a integrar o Programa de Apoio e Proteção a Testemunhas, Vítimas e Familiares de Vítimas da Violência (Provita) por conta das várias ameaças de morte feitas contra ela, vindas inclusive de policiais que davam proteção à Beira-Mar.

 

Leia mais no jornal Correio do Estado

Leia Também