Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DILMA ROUSSEF:

Estado precisa reduzir burocracia

Estado precisa reduzir burocracia
11/02/2014 15:09 - AGÊNCIA BRASIL


                                                    Dilma abriu colheita da safra 2013/1014 (Foto:ABr)

A presidente Dilma Rousseff disse hoje (11), em Lucas do Rio Verde (MT), a 330 quilômetros de Cuiabá, que o agronegócio brasileiro é exemplo de produtividade para o país. A presidentaefalou também sobre a necessidade de o Estado se modernizar, diminuindo a burocracia.

Dilma participou da abertura da colheita da safra brasileira de grãos 2013/2014, e chegou a operar uma máquina colheitadeira de grande porte durante alguns minutos. Depois, ela viu a soja colhida ser despejada em uma lona.

“É uma imensa alegria assistir àquela quantidade de soja jorrando pela colheitadeira, conseguir pegá-la, jogar para cima e provar um grão de soja”, disse a Dilma, brincando que descobriu uma segunda profissão como operadora de colheitadeira. Falou sobre a importância da formação oferecida pelo Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego aos profissionais treinados para operar a máquina.

A presidente elogiou o crescimento qualitativo do agronegócio nos últimos 20 anos, tornando-se exemplo de sucesso. “Nas duas últimas décadas, a produção de grãos cresceu 221% e a área plantada apenas 41%. Isso é produtividade na veia, e é isso que nós buscamos para todas as áreas do país”, disse. Dilma aproveitou para anunciar aos produtores de algodão o novo preço mínimo estabelecido pelo governo, que passará a R$ 53 a arroba do produto.

Como forma de aumentar a produtividade e reduzir gargalos burocráticos, a presidenta pediu à população, aos empresários e prefeitos que reclamem do excesso de papéis e peçam a simplificação dos processos. “Nós temos uma tradição de burocracia, do selo e do carimbo, que infelizmente é um pouco ibérica”, disse, destacando que só será possível traçar um horizonte de sucesso se governo e população modernizarem o Estado brasileiro.

“Os senhores têm de reclamar muito, queixar-se muito que tem papel demais nesse país e que nós temos de simplificar os processos. Não para diminuir fiscalização, não para deixar o mal feito acontecer, não para destruir o meio ambiente, mas, pelo contrário, para acabar com a multiplicidade das exigências desnecessárias”, disse a presidenta.

O local escolhido para abrir a colheita desta safra é representativo para a agricultura. Mato Grosso é o principal produtor de grãos do país. Colhe 30% da produção nacional, e o município de Lucas do Rio Verde é um dos destaques, com 1,5% da produção brasileira.

De acordo com o quinto levantamento da safra de grãos 2013/2014, divulgado hoje (11) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), os produtores brasileiros devem colher 193,6 milhões de toneladas. O volume é 3,6% maior do que o da safra passada, que atingiu 186,9 milhões de toneladas. Segundo relatório da Conab, os preços desestimulantes e os estoques elevados de alguns grãos impediram que o aumento fosse maior.

Mesmo assim, o país pode se tornar o maior produtor de soja do mundo, ultrapassando 90 milhões de toneladas colhidas nesta safra, e superar os Estados Unidos. Associada ao milho, que deve passar de 75 milhões de toneladas, os dois produtos representam mais de 85% da produção nacional de grãos. O plantio de grãos ocupa 55 milhões de hectares.

De acordo com o governo, as exportações do agronegócio brasileiro renderam, em 2013, R$ 99,7 bilhões, um crescimento de 4,3% em relação a 2012.

Felpuda


As várias e várias mensagens que vêm sendo trocadas em grupos fechados, e para poucos, são de que algumas alianças poderão acontecer, mas mediante a troca de comando em alguns órgãos importantes. Seriam entendimentos para atender siglas de matizes bem diversos que vêm tentando criar dificuldades para vender facilidades. Se as negociações forem concretizadas, tornarão os caminhos sem muitas barreiras. A conferir.