Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 14 de dezembro de 2018

ABERTURA DA FRONTEIRA

Estado pode voltar a liderar exportações de carne bovina

22 MAR 2011Por Osvaldo Júnior00h:03

Depois de quase dois meses do reconhecimento dos municípios da Zona de Alta Vigilância Sanitária (ZAV) como área livre de febre aftosa com vacinação, o Ministério da Agricultura normatiza a liberação da exportação de carne bovina por produtores da região. A instrução normativa foi assinada na sexta-feira pelo ministro Wagner Rossi e foi publicada hoje no Diário Oficial da União.

Com a liberação, todo o Estado poderá comercializar carne bovina com outros países. Na avaliação da Superintendência Federal de Agricultura, Mato Grosso do Sul poderá voltar a liderar o ranking das exportações brasileiras de carne bovina.

A liberação da exportação da carne bovina por produtores da região de fronteira encerra um capítulo negativo para a pecuária do Estado, iniciado em 2005, com a ocorrência da febre aftosa. Na época, todo o Estado ficou considerado como de risco sanitário e as exportações da carne bovina, suspensas. Em 2008, Mato Grosso do Sul recebeu o reconhecimento de área livre da febre aftosa com vacinação. No entanto, os 13 municípios da fronteira - Antônio João, Aral Moreira, Bela Vista, Caracol, Coronel Sapucaia, Corumbá, Japorã, Ladário, Mundo Novo, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho e Sete Quedas - continuaram como área de risco.

O reconhecimento de todo o Estado como livre da febre aftosa alarga o volume de carne disponível às indústrias frigoríficas exportadoras – na ZAV, há o total de 800 mil bovinos e cinco mil propriedades. Esses animais têm, em razão da ZAV, valor de mercado menor. Com a liberação, os valores do gado da região podem ser majorados.

(leia mais no jornal Correio do Estado)

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também