Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Estado não recebe novo aparelho para ambulâncias

Estado não recebe novo aparelho para ambulâncias
29/01/2010 07:39 -


Mato Grosso do Sul não foi beneficiado com a primeira distribuição de equipamentos do sistema Tele- Eletrocardiografia Digital, tecnologia de ponta que será implantada em viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), já disponível em 37 municípios, localizados no Distrito Federal e em nove estados. Até o final do ano, de acordo com o Ministério da Saúde, todas as ambulâncias do serviço no Brasil devem estar equipadas com os aparelhos. O sistema Tele-Eletrocardiografia Digital permite ao profissional de saúde obter um diagnóstico mais preciso do paciente ainda em casa, antes do deslocamento para o hospital. Para o diagnóstico, o médico ou o en fermei ro conecta os eletrodos no peito do paciente; o aparelho capta e grava a frequência cardíaca do paciente em apenas dez segundos e esse exame pode ser repassado por telefone celular a uma central localizada em um Hospital de São Paulo. A central recebe os sinais, que são decodificados para o traçado do eletrocardiograma, no computador. O tempo total estimado do trâmite é, em média, de cinco minutos. Então, os cardiologistas do Hospital analisam o exame, elaboram o diagnóstico e o enviam com sugestões de t rat amento adequ ado. O procedimento pode reduzir em até 20% o número de mortes por doenças do coração. Na primeira fase do projeto, foram adquiridos 450 kits com eletrocardiógrafos e telefones celulares, sendo que cada kit serve s uma ambulância. Os investimentos no projeto devem chegar a R$ 6,9 milhões em três anos. Este valor será aplicado na compra de aparelhos, treinamento de equipes e manutenção dos aparelhos e equipamentos. (BG)

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!