Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Estado gera mais de 3 mil vagas por mês e supera Rio e São Paulo

16 JUL 10 - 08h:38
ADRIANA MOLINA

Mato Grosso do Sul gerou cerca de 106 empregos formais por dia em junho. No mês, foram abertos 3.177 novos postos de trabalho, o que fez o Estado ocupar o sétimo lugar no ranking nacional de geração de empregos, ultrapassando grandes centros como, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, segundo dados divulgados ontem pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
O mês foi ainda o quarto melhor junho dos últimos 14 anos de Mato Grosso do Sul, e fez com que o Estado alcançasse o segundo melhor semestre do mesmo período. Graças em boa parte ao setor de serviços, que representou 35% das vagas geradas (1.117). “Neste setor devemos destacar os serviços de administração imobiliária e de comunicações, que abriram 372 e 324 novos postos, respectivamente”, diz o economista Áureo Torres.
Conforme Torres, o segmento de administração de imóveis disparou com a chegada de novos empreendimentos imobiliários, como os condomínios, principalmente em Campo Grande. Já o setor de comunicações empregou mais no período por conta da campanha eleitoral, em que os candidatos contratam publicitários, jornalistas e profissionais de mídia e propaganda.
Em seguida, a atividade que mais formalizou trabalhadores no Estado foi a indústria da transformação, que fechou o mês com saldo de 958 vagas abertas. A agropecuária, que vive momento de colheita de produtos e manejo em algumas atividades, abriu 503 novos postos de trabalho em junho.
A construção civil, o comércio e os serviços industriais de utilidade pública geraram 361, 296 e 19 vagas, respectivamente no mês. Já a administração pública e o extrativismo mineral tiveram saldos negativos, com o fechamento de 77 vagas.

Campo Grande
A Capital foi responsável por empregar cerca de 21% dos trabalhadores inseridos no mercado formal em junho em todo Mato Grosso do Sul. Foram 674 novas vagas, seguindo o destaque estadual do setor de serviços, que empregou 279 pessoas. Logo depois aparece o comércio, com 152 novas vagas abertas; a construção civil, com 146; indústria da transformação, com 119; e a agropecuária, com 56. Tiveram saldos negativos a administração pública, os serviços industriais de utilidade pública e o extrativismo mineral, totalizando o fechamento de 78 postos de trabalho.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Considerada cidade do algodão, Chapadão do Sul comemora 32 anos de emancipação
FELIZ ANIVERSÁRIO

Considerada cidade do algodão, Chapadão do Sul comemora 32 anos de emancipação

Diretor de presídio federal diz que Name não precisa de ajuda
CRIME ORGANIZADO

Diretor de presídio diz que Name não precisa de ajuda

STF retoma julgamento sobre prisão após condenação em 2ª instância
BRASÍLIA

STF retoma julgamento sobre prisão após condenação em 2ª instância

Deputados cobram vistoria <br>contra incêndio em hospitais
RISCOS

Deputados cobram vistoria contra incêndio em hospitais

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião