sábado, 21 de julho de 2018

BALANÇO

Estado criou 62,7 mil empregos em quatro anos

24 DEZ 2010Por Edivaldo Bitencourt00h:00

Nos últimos quatro anos, a indústria, o comércio e o setor de serviços contribuíram com a criação de 62,7 mil novas vagas em Mato Grosso do Sul. Desde a posse de André Puccinelli (PMDB), o estoque de emprego formal cresceu 17,8%. O melhor ano do período é 2010, que contabiliza 28.107 novos trabalhadores contratados com carteira assinada, com aumento de 117,8% em relação ao ano passado, que fechou com 12,9 mil vagas.

Houve aumento de 23,8% no número de trabalhadores na indústria de transformação, de 67,5 mil, em 2006, para 83,7 mil em novembro deste ano. O setor criou 16,1 mil novas vagas e registrou o maior crescimento no Estado. A chegada de novas indústrias, como a Fibria em Três Lagoas e o frigorífico Bertin/JBS em Campo Grande, impulsionou a criação de vagas pela indústria.

Maior empregador no Estado, o setor de serviços cresceu 21,2%, com a abertura de 23,2 mil novas vagas no mercado de trabalho, passando de 109,5 mil para 132,8 mil empregos formais. O comércio teve alta de 20,2% (16,7 mil empregos). O setor conta com 99,2 mil trabalhadores neste ano, contra 82,5 mil em 2006.

O menor crescimento, de 5,6%, foi registrado na agropecuária, que criou 3,3 mil novas vagas. O estoque de empregos no setor primário oscilou de 60 mil, há quatro anos, para 63,3 mil hoje. Já a administração pública encolheu 9,3%, de 5,4 mil para 4,9 mil.

"O Estado experimentou um momento de absoluto crescimento, traduzido na criação de empregos imediatos, almejados por todo o Governo, porque entendemos o desenvolvimento econômico quando projetos incluem as pessoas", afirmou o diretor-geral da Fundação Estadual do Trabalho (Funtrab), Cícero Ávila. Levantamento do órgão, no ano passado, constatou que o crescimento no mercado de trabalho sul-mato-grossense ocorre em sete das nove regiões. "Contrariamente aos anos anteriores, que registravam produção mais intensa em apenas cinco regiões, temos essa evolução (para sete) que resulta, obviamente, em mais empregos", ressaltou.

Leia Também