Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

DESABRIGADOS

Estado começa receber cestas de ministério

17 MAR 2011Por DA REDAÇÃO00h:00

Mato Grosso do Sul começa a receber as duas mil cestas básicas liberadas pelo Ministério da Integração Nacional (MI) por meio da Secretaria Nacional de Defesa Civil, após pedidos feitos pelo governador André Puccineli durante a visita do ministro Fernando Bezerra, na semana passada, em Campo Grande.

Cada kit alimentar pesa 24,3 quilos e contém arroz, feijão, farinha, óleo, açúcar, sardinha, rosquinha de coco, macarrão e leite em pó, atendendo uma família de cinco pessoas por aproximadamente 15 dias. Os alimentos estão no armazém da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) na cidade Rolândia, no Paraná. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec-MS) já enviou um primeiro caminhão para buscar as primeiras mil cestas básicas.

“Estas cestas básicas vão auxiliar os municípios que contam com famílias desalojadas e desabrigadas como aquelas que pediram o auxílio da Cedec, incluindo Aquidauana, Dois Irmãos do Buriti, Coxim e Anastácio”, explicou o coordenador estadual de Defesa Civil, coronel Ociel Ortiz Elias. Já foram enviadas cestas básicas e roupas para essas cidades, além de nove mil litros de água fornecida pela Sanesul ao município de Paranaíba.

De acordo com coordenador, o governador solicitou ao ministro da Integração Nacional cinco mil cestas básicas, além de kits-dormitório compostos por lençol, travesseiro, fronha, cobertor, mosquiteiro e toalha. Segundo o levantamento da Cedec-MS, 139.482 pessoas foram afetadas por causa das enchentes e inundações das chuvas das últimas semanas. Deste total, 2.559 estão desalojados e 505 desabrigados. Somente no município de Coxim, 1.300 pessoas estão desalojadas.

 Além de cestas básicas e kit dormitório, o Governo solicitou ainda ao ministério recursos na ordem de R$ 110 milhões para ações emergenciais como, por exemplo, recuperação de estradas e pontes que foram afetados pelas chuvas. O MI já empenhou R$ 5 milhões e o Estado aguarda a liberação destes recursos.

Leia Também