segunda, 23 de julho de 2018

Estado aumenta exportação à China, Mercosul e África

14 OUT 2010Por Edivaldo Bitencourt01h:38



Mato Grosso do Sul ampliou as exportações para a China, Mercosul e países da África neste ano. Os principais responsáveis pelo aumento de 51,36% nas vendas ao exterior, no período de janeiro a setembro deste ano em relação ao mesmo período de 2009, são grãos, carne e minérios. E o crescimento da demanda mundial por mais alimentos, puxada pelo crescimento chinês de até dois dígitos e dos países em desenvolvimento, vai manter o ritmo do crescimento do comércio sul-mato-grossense com outros países e até acabar com o déficit na balança comercial.
As exportações sul-mato-grossenses para a China cresceram 62,69% no período, de US$ 304,9 milhões para US$ 496 milhões, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Dos US$ 2,219 bilhões vendidos pelo Estado ao exterior neste ano, 22,3% foram para os chineses. O consultor econômico João Pedro Cuthi Dias explica que o aumento expressivo é decorrente da grande demanda daquele país, o mais populoso do mundo, com 1,3 bilhão de habitantes, por alimentos (grãos e carnes) e minérios.
Há cinco anos a China é o maior comprador do Estado, mas vem dobrando a sua participação no total exportado. “Vai aumentar ainda mais, mas Mato Grosso do Sul deve ser mais agressivo porque tem espaço para crescer”,ressalta Dias.

Pobres
A comercialização de alimentos e açúcar é a causa do crescimento expressivo para os países em desenvolvimento da Ásia e da África. A Argélia elevou em 553,35% as compras de produtos sul-mato-grossenses no período, de US$ 2,7 milhões para US$ 17,6 milhões. Neste ano, o país africano superou a maior economia mundial, enquanto os Estados Unidos reduziram as compras de MS em 61,83%, de US$ 32,9 milhões para US$ 12,5 milhões.
O Egito, que aumentou as compras do Estado em 205,6% (de US$ 15 milhões para US$ 46,1 milhões), também passou a ser mais importante para Mato Grosso do Sul do que os americanos. Maior importância ainda ganhou o maior inimigo dos Estados Unidos, o Irã. A exportação sul-mato-grossense para os iranianos cresceu 191,94%, de US$ 43,2 milhões para US$ 126,1 milhões.
Houve aumento expressivo das vendas para Marrocos (197,7%, de US$ 3,5 milhões para US$ 10,7 milhões), Tailândia (179,8%, de US$ 10,9 milhões para US$ 30,5 milhões) e Itália (277,4%, de US$ 28,5 milhões para US$ 107,8 milhões).

Leia Também