segunda, 16 de julho de 2018

valorização da categoria

Especialistas reclamam de baixa remuneração

8 DEZ 2010Por karine cortez05h:18

O presidente da Sociedade de Pediatria de Mato Grosso do Sul, Alberto Cubel Brull Junior, afirmou ontem que a falta de interesse dos médicos pediatras em atuarem nos plantões está diretamente ligada a má remuneração. Ele fez questão de ressaltar que não há falta de profissionais no mercado de Campo Grande e que a cidade dispõe de quase o dobro do necessário. "Temos hoje 230 pediatras na ativa em Campo Grande. A Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza que sejam 20 pediatras para cada 100 mil habitantes. Portando, necessitaríamos de menos 160 levando em conta que nossa população está próxima a 800 mil habitantes", explicou.

Para Alberto a decisão dos pediatras em abandonar os plantões é uma maneira de chamar a atenção dos convênios para a valorização da categoria. "Os convênios são os maiores exploradores do serviço médico. Eles pagam mal e recebem muito bem. Na pirâmide das especialidades, a pediatria é a que dispõe da menor remuneração. A Unimed, por exemplo, não reajusta o valor da consulta há pelo menos seis anos, mas durante todo esse tempo aplicou os devidos aumentos aos conveniados", enfatizou o presidente da sociedade.

Ele acredita que deixando de atender nos plantões os médicos conseguirão o que almejam. "Só sentindo a falta e a necessidade desses profissionais é que começarão a dar o devido valor". (KC)

Leia Também