Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 17 de novembro de 2018

Especialista defende uso de sistemas de retenção no transporte de crianças em automóveis

26 JUN 2012Por agência brasil23h:00

A velocidade, o álcool, a falta de uso de capacete, cinto de segurança e sistemas de retenção infantil (cadeirinhas e assentos de elevação) são os principais causadores de acidentes de trânsito, disse hoje (26) o diretor do Instituto de Segurança Viária da Fundación Mutualidad de la Agrupación de Proprietarios de Fincas Rústicas de España (Mapfre), Julio Laria del Vas, no seminário Segurança da Criança nos Veículos: Dispositivos Infantis de Retenção Veicular no Brasil. “Se um país conseguir controlar esses fatores, será um país com menos acidentes de trânsito”, afirmou del Vas.

O diretor do instituto da Mapfre é autor da pesquisa Cadeirinhas de Segurança para Crianças: Situação na América Latina e Caribe, por meio da qual concluiu que grande parte dos acidentes com crianças ocorre em trajetos curtos, como da escola para casa e da casa para a escola. Na Espanha, por exemplo, 40% dos acidentes ocorrem em tais percursos.

Durante o seminário, no Ministério das Cidades, foi feita uma simulação de acidente a 20 quilômetros por hora, com uma criança que não estava na cadeirinha de segurança. Na simulação, se houvesse um acidente, a criança seria lançada para fora do automóvel.

De acordo com a coordenadora nacional da organização não governamental (ONG) Criança Segura, Alessandra Françoia, crianças entre 10 e 14 anos são as mais vulneráveis a acidentes. É nessa idade que a cadeirinha não serve mais, e as crianças não usam o cinto. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também