POLÍTICA

Escola Nova Corumbá exibe fantasias e bateria

Escola Nova Corumbá exibe fantasias e bateria
04/02/2010 23:03 - SÍLVIO ANDRADE, CORUMBÁ


Renovada e com uma nova diretoria formada por carnavalescos que já atuaram nas grandes escolas de samba da cidade, a Mocidade Independente da Nova Corumbá, do Grupo B, promove um encontro com a comunidade para apresentar a bateria e as fantasias que vão compor as 14 alas para o desfile do dia 14. O evento acontece hoje no barracão da escola, às 21h. Fundada em 1999, a Nova Corumbá entra este ano na passarela do samba com estrutura de escola grande em busca do título para retornar ao grupo de elite, defendendo o samba-enredo “Das águas do Paraguai nasce um rio de esperança”. Para o presidente João Pedro Cavassa, a Nova Corumbá vai surpreender na avenida com seus 900 componentes e cinco carros alegóricos. O evento, com entrada franca e a presença de passistas, mestre-sala e portabandeira, será uma noite da comunidade da zona sul da cidade, região de morraria onde se concentram bairros como o Nova Corumbá, que deu origem à agremiação. “Decidimos mostrar a escola porque a comunidade e pessoas de outras cidades querem conhecer as fantasias”, explicou Cavassa. Noite Imperial Amanhã será a vez da bicampeã Império do Morro, uma das mais tradicionais escolas de samba, fundada em 1958, revelar parte do seu enredo. A Noite Imperial, que acontece todos os anos, será no ginásio do Corumbaense, com apresentação de fantasias de cada uma das 12 alas e a bateria, formada por 160 componentes. Noite de muito brilho, luxo e samba.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".