Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EDUCAÇÃO

Escola Bernardo Franco Baís é a mais antiga em atividade

A unidade Bernardo Franco Baís figura como a matriarca de inúmeros alunos
26/08/2015 14:00 - KLEBER CLAJUS


 

Campo Grande completa 116 anos nesta quarta-feira e no decorrer do dia vamos mostrar curiosidades da cidade que se tornaram parte da história, clique aqui e confira as matérias já publicadas.

A primeira geração de campo-grandenses teve por professor o gaúcho e ex-combatente da Guerra do Paraguai, José Rodrigues Benfica. Ele foi o responsável pela primeira escola, no início de 1889, época em que a cidade ainda era conhecida como Arraial Santo Antônio de Campo Grande. Desde então a estrutura educacional evoluiu junto com o município para as atuais 94 escolas municipais e 96 Centros de Educação Infantil (Ceinf), sem contar as instituições particulares e mantidas pelo Estado.

O prédio escolar mais antigo, apontado pelo arquiteto e urbanista Ângelo Arruda, trata-se do Colégio Oswaldo Cruz na Avenida Noroeste. A estrutura da década de 1920, no entanto, mudou de finalidade ao ser doada para a Santa Casa e só voltou a funcionar como escola municipal em 2010 para atender a formação de adolescentes com distorção de idade e escolaridade.

Com isso, a unidade Bernardo Franco Baís figura como a matriarca de inúmeros alunos que por seus corredores passaram desde a inauguração do imóvel, na Avenida Calógeras, em fevereiro de 1932. Hoje com fachada tombada pelo patrimônio histórico, o  espaço atende 440 alunos da pré-escola ao nono ano.

Dentre as escolas particulares, destacam-se pelo estilo Art Déco e suas linhas verticais os prédios do Colégio Dom Bosco e Nossa Senhora Auxiliadora. O primeiro, na verdade, veio transferido de Aquidauana e teve estrutura própria inaugurada na Capital em 1934, sediando ainda as Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso (FUCMT) e o museu etnológico Dom Bosco. Já o Auxiliadora, tornou-se o maior edifício da cidade na década de 1940, por justamente ocupar um quarteirão da Avenida Mato Grosso com a Rua Pedro Celestino.

No caso das escolas estaduais, o Joaquim Murtinho perde o título de mais antiga ao se considerar que seu prédio original, inaugurado em 1926, foi demolido na década de 1970. Por isso, o Maria Constança de Barros Machado figura como o mais representativo, além do fato de ser um projeto adaptado de Oscar Niemayer inaugurado no aniversário de Campo Grande de 1954.

Felpuda


Malfeitos que teriam sido praticados em tempos não tão remotos podem ser a pedra no caminho de pré-candidatura que está sendo costurada. As conversas ainda estão nas “ondas da rádio-peão”, mas, com a proximidade da campanha eleitoral, há quem diga que isso se tornará uma tremenda dor de cabeça para quem vai enfrentar as urnas. Pior:  o dito não seria culpado direto, mas sim a sua...  Bem, deixa rolar para ver onde vai parar.