JUDÔ

Erika Miranda é eliminada nas oitavas de final

Erika Miranda é eliminada nas oitavas de final
29/07/2012 07:18 - TERRA


Um dia depois de ajudar o Brasil com um ouro e um bronze, logo na estreia dos Jogos de Londres, o judô brasileiro decepcionou neste domingo. A brasileira Erika Miranda, quarta colocada no ranking mundial, caiu logo nas oitavas de final do torneio feminino da modalidade na categoria dos meio-leves. A competidora nacional acabou imobilizada pela sul-coreana Kyung-Ok Kim e acabou eliminada logo na estreia. Considerada uma das favoritas à medalha - assim como Leandro Cunha, eliminado entre os homens também na estreia -, Erika Miranda sofreu diante de uma adversária consistente. Sem conseguir apresentar o nível de judô que a colocou entre as melhores do mundo, a brasileira sofreu um yuko com pouco mais de um minuto de luta e precisou abrir ainda mais o jogo.

Mais agressiva, Erika assumiu o controle do combate e acuou a adversária. A brasileira forçou duas punições da rival e igualou a luta, obtendo o yuko. A igualdade tranquilizou a atleta nacional, que conseguiu levar a luta válida pelas oitavas de final para o Golden Score.
No desempate, contudo, a judoca brasileira acabou surpreendida com menos de um minuto. A sul-coreana, com um trabalho excepcional no chão, encaixou uma chave de braço bem ajustada e obrigou Erika Miranda a bater, desistindo do sonho da medalha logo em seu primeiro combate.

A derrota de Erika Miranda encerra a participação dos judocas brasileiros neste domingo. Antes da atleta, Leandro Cunha, também meio-leve, caiu logo na estreia diante do polonês Pawel Zagrodnik e perdeu a chance de brigar por um lugar no pódio. No sábado, primeiro dia do judô, Sarah Miranda conquistou o ouro, enquanto Felipe Kitadai acabou com o bronze.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".